NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 22 de outubro de 2019

 

                Prof. Luiz MASCARENHAS*

                Reflitamos um pouco a atual conjuntura política de nosso país. Por vezes as instituições caem no descrédito. Assistimos entristecidos este fato com diversas instituições pátrias de abrangência nacional, as quais deveriam ser reduto de pessoas probas e ilibadas e no entanto, não o são; há muitos lobos travestidos de ovelhas.  Hoje, por exemplo, quando falamos em “Academia de Letras” de modo geral, na mente de muitos surge a imagem deturpada de uma instituição caduca, carcomida por futilidades e repleta de cabeças encanecidas, quase um asilo literário, aonde se reúnem vaidades e se distribui mesuras e honrarias vazias para pessoas que ocupam lugares de destaque na Sociedade, em busca de ascensão social e reconhecimento público. Bem – infelizmente- as instituições nacionais refletem a vida pública (em tempos de golpe até se legisla em causa própria – situação eivada de inconstitucionalidade- e se age sorrateira e desonestamente, denotando assim descaradamente a falta de escrúpulos em busca do Poder – Poder este muitas vezes tão efêmero e fementido quanto a intelectualidade de muitos que o detém).

Mas o propósito destas mal traçadas linhas não é o esmiuçar negatividades ou o desencanto com o atual contexto social, cultural e político do Brasil. Falemos pois de positividades e vitórias! Falemos da nossa AILE!

Foi na ditosa manhã do dia 16 de Setembro de 2015, então aniversário de 114 anos de emancipação político-administrativa de Itaúna, às 9 horas, no Centro Pastoral “Cônego José Ferreira Netto”, que   aconteceu a Assembleia Geral do Grupo de Escritores Itaunenses – na qual efetivou-se  o ato constitutivo da    ACADEMIA ITAUNENSE DE LETRAS.

Era uma aspiração antiga de nossa cidade, de mais de 40 anos!  Em ocasiões diversas, várias pessoas e grupos tentaram a fundação de uma Academia de Letras nestas barrancas de Sant’ana do rio São João, porém, quis o império das circunstâncias que coubesse a nós, esta grave, importante e honrosa missão.

Sempre é bom lembrar para que serve uma Academia de Letras.

Em primeiro lugar, uma ACADEMIA DE LETRAS tem por objetivo principal cultuar a LÍNGUA PORTUGUESA. Deve zelar, cuidar, promover e divulgar obras literárias; principalmente de seus Patronos. E foi naquela histórica manhã realizado um Ato Constitutivo e a posse da primeira Mesa Diretora da Academia Itaunense de Letras e a posse dos acadêmicos fundadores. Estes atos contaram com a presença do então Prefeito Municipal, Osmando Pereira da Silva, do Vice-reitor da UNIVERSIDADE DE ITAÚNA, Dr. Irineu Carvalho de Macêdo e dos Vereadores Hudson Bernardes e Palmira Feliciano, além de seleta plateia.

Na sessão solene, usou da palavra a ESCRITORA MARIA LÚCIA MENDES, que relatou de forma sintética sua longa caminhada pela Literatura e que naquele momento, encontrava-se muito feliz e realizada com a fundação de nossa Academia de Letras.

Discursou ainda o Escritor Toni Ramos Gonçalves, que apresentou o PATRONO da Academia Itaunense De Letras, escolhido pelos Acadêmicos Fundadores:  o MINSTRO OSCAR DIAS CORRÊA (1921-2005) – justificando-se que foi este, um ilustrado cidadão itaunense de grande projeção nacional, tendo ocupado uma cadeira na ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS, além de ter sido Ministro da Justiça e Ministro do Supremo Tribunal Federal.

Em seguida, proferiu longo e efusivo discurso, o Sr. Prefeito Municipal, Osmando Pereira da Silva, enaltecendo o feito da fundação desta nossa Academia de Letras e tecendo diversas considerações culturais sobre a nossa Itaúna. O Dr. Irineu de Carvalho Macêdo, vice-reitor da UNIVERSIDADE DE ITAÚNA também proferiu significativas palavras sobre a fundação de nosso Sodalício das Letras Barranqueiras.

O Cerimonial foi conduzido pelo Prof. Luiz Mascarenhas que proferiu a leitura do TERMO DE CRIAÇÃO DA ACADEMIA ITAUNENSE DE LETRAS e –ato contínuo- os Acadêmicos Fundadores foram empossados, apresentaram seus Patronos e proferiram breves alocuções.

SÃO  ACADÊMICOS FUNDADORES:  MARIA LÚCIA MENDES ( Cadeira 5 = Mário de Andrade) , TONI RAMOS GONÇALVES ( Cadeira 7 = Guimarães Rosa) ,  GERALDO FERNANDES FONTE BOA (Cadeira 2= Manoel de Barros) ,  LUIZ MASCARENHAS ( Cadeira 4 = João Dornas Filho) , ANA LÚCIA DE FREITAS ( Cadeira 1 = Machado de Assis) ,  JONAS VIEIRA (Cadeira 3 = Carlos Drummond de Andrade) , VERA SILVA ( Cadeira 9 = Fernando Sabino) ,  SÍLVIO MÁRCIO BERNARDES (Cadeira 6 = Nise Campos) E  VERA MACÊDO ( Cadeira 8 = Mário de Sá-Carneiro) .

).  A estes, somaram-se outros Escritores como Ocília Nogueira, Magella Moreira, Arnaldo Ribeiro, Leonardo Costaneto, Maria Eneida Nogueira Guimarães, Matheus Alcântara Lopes, Raimundo Rabello, Pedro Penido, José Raimundo Bechelaine, Vera Alice dos Santos (de saudosa memória) e também os Acadêmicos Beneméritos, como José Gomes Miranda, Marco Elíseo Chaves Coutinho (de saudosa memória), Maria Helena Corgozinho e Faiçal David Freire Chequer, além do Acadêmico Honorário Paulo Sérgio Diniz.

Ficamos todos muito felizes e orgulhosos, pois, ao então comemorar os 114 anos de nossa querida ITAÚNA,  50 anos de nossa UNIVERSIDADE e 40 anos de nosso título de “CIDADE EDUCATIVA DO MUNDO” outorgado pela UNESCO, nós tivemos a honra de  ofertar à nossa cidade, a  ACADEMIA ITAUNENSE DE LETRAS!

“Omnia poenas superant si anima magna” : “Tudo vale a pena, se  a alma não é pequena “- frase antológica de Fernando Pessoa, na língua latina  pelo preclaro Confrade José Raimundo Batista Bechelaine; lema de nossa Academia e que bem traduz o espírito de seus Fundadores! Hoje, comemoramos quatro anos de profícua existência, alimentando sempre a esperança de dias melhores no porvir!

POR UM SONHO DE FÉ E GRANDEZA!

E VIVA ITAÚNA!!!

 

 

*Bacharel em Direito / Licenciado em História pela UNIVERSIDADE DE ITAÚNA

  Historiador/ Escritor/ Membro Fundador da ACADEMIA ITAUNENSE DE LETRAS/

Autor de “Crônicas Barranqueiras” e coautor de “Essências”, “Olhares Múltiplos” e

 “O que a vida quer da gente é coragem”/

Cidadão Honorário de Itaúna