NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 27 de novembro de 2020

Foto Reprodução Internet

 

A Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de Itaúna, passa a partir deste mês, a consumir energia elétrica a partir de uma usina fotovoltaica. O Governo de Minas realizou nesta sexta-feira (23) uma cerimônia para a inauguração do sistema em quatro unidades do Estado.

 

Ao todo, Minas reúne 37 associações e a primeira delas em todo estado, foi a Apac de Itaúna, inaugurada 1986, espelhada na Apac de São José dos Campos. Atualmente, a unidade é reconhecida nacionalmente e mundialmente como modelo na recuperação de condenados.

Zema em Itaúna – Foto Gil Leonardi/Imprensa MG
O presidente da Cemig, Reynaldo Passanezi Filho, adiantou que há um trabalho junto à Sejusp para levar a eficiência energética para todo o sistema prisional. “Existe um grande esforço também para desenvolver o mesmo trabalho nas instituições filantrópicas”, explicou.
O diretor-executivo da FBAC, Valdeci Ferreira, chamou a atenção para o atual ambiente político favorável ao desenvolvimento de projetos. “Em terras mineiras conseguimos encontrar, além de um solo fértil para o nascimento dessa semente, parceiros e instituições fortes, que permitiram não só a consolidação das Apacs já existentes, mas também para todo o estado, demais unidades da federação e outros países”, pontuou.

 

 

Inauguração

A inauguração das unidades ocorreu com a presença do governador Romeu Zema, nesta sexta-feira, no Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), em Belo Horizonte. Foram beneficiadas as unidades de Nova Lima, Itaúna, São João del Rei e Pouso Alegre.

O projeto é uma ação dentro do Programa de Eficiência Energética, da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O objetivo é promover o uso eficiente da energia, com a redução de consumo, da demanda no horário de pico do sistema elétrico e do desperdício.

Em novembro de 2019, o TJMG assinou com a Cemig, a Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (FBAC), o Sistema Fiemg e a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) dois protocolos para promover o uso eficiente e racional de energia elétrica nas Apacs e instalar sistemas fotovoltaicos de 75 kWp nas unidades.

 

Sistema prisional

O presidente da Cemig, Reynaldo Passanezi Filho, adiantou que há um trabalho junto à Sejusp para levar a eficiência energética para todo o sistema prisional. “Existe um grande esforço também para desenvolver o mesmo trabalho nas instituições filantrópicas”, explicou.

O diretor-executivo da FBAC, Valdeci Ferreira, chamou a atenção para o atual ambiente político favorável ao desenvolvimento de projetos. “Em terras mineiras conseguimos encontrar, além de um solo fértil para o nascimento dessa semente, parceiros e instituições fortes, que permitiram não só a consolidação das Apacs já existentes, mas também para todo o estado, demais unidades da federação e outros países”, pontuou.

 

Apac

A Apac é uma entidade civil de direito privado, com personalidade jurídica própria, dedicada à recuperação e à reintegração social dos condenados. Nas associações, as pessoas privadas de liberdade são chamadas de recuperandos e não há vigilância armada e nem a presença de policiais. A premissa é de que os recuperandos cuidem uns dos outros.

O objetivo é humanizar o cumprimento das penas privativas de liberdade, em uma aposta na recuperação do ser humano que cometeu um crime. O condenado que tiver interesse em cumprir pena em uma Apac deve manifestar o interesse ao juiz responsável, que irá avaliar o pedido.

Por G1