NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 27 de fevereiro de 2021

 

 

Após as mudanças no plano “Minas Consciente” anunciadas pelo secretário de Estado de Saúde, o médico Carlos Eduardo Amaral, nesta quarta-feira (27), o Comitê Executivo Covid-19 definiu pelo avanço da macrorregião Oeste para a Onda Amarela.

 

O Secretário de Estado de Saúde, o médico Carlos Eduardo Amaral não informou quando as novas determinações passarão a vigorar. A macrorregião Oeste regrediu para a fase mais restritiva do programa no dia 2 de janeiro.

 

Mas de acordo com Mauricio Nazaré, Presidente da CDL Itaúna, as novas determinações passarão a vigorar a partir de segunda-feira 01/02.

 

 

Recorde de mortes

No dia em que Minas Gerais registrou recorde diário de mortes por Covid-19, foram 216 confirmados em apenas um dia, a partir de agora todas as atividades vão poder funcionar nas cidades que aderiram ao programa, contemplando inclusive as que estão paradas desde o início da pandemia de Covid-19, independente da onda em que estão. Os protocolos a serem adotados vão variar conforme a “onda”, sendo a vermelha a mais restritiva.

De acordo com o Estado, “os critérios para definição das ondas não sofrerão modificações e continuarão embasados por indicadores como incidência da doença e capacidade de atendimento hospitalar”. Estão na Onda Amarela: Norte, Oeste e Vale do Aço; na Vermelha: Triângulo do Norte, Noroeste, Centro, Jequitinhonha, Leste, ​Leste do Sul, Nordeste, Sudeste, Centro-Sul e Sul; e na Verde: Triângulo do Sul.

O governo de Minas afirmou que a fiscalização será feita pelos gestores municipais e terão apoio da Polícia Militar (PM), além da própria população por meio de denúncias de descumprimento das regras.

 

Veja abaixo detalhes das mudanças do “Minas Consciente”.

Mudanças

Novas orientações do programa em 27 de janeiro – Foto: Imprensa MG/Divulgação

 

Nesta terceira versão do plano estadual, mesmo que a cidade esteja na Onda Vermelha, comércio e eventos, por exemplo, serão liberados. Contudo, algumas regras de distância como capacidade e limite de ocupação, devem ser seguidas. Há também restrição de algumas atividades que correspondem aos serviços essenciais, como padarias, bancos, farmácias e supermercados.

“Nos serviços essenciais, tínhamos um distanciamento linear de 2 metros na Onda Vermelha. Nós passamos para 3 metros. Então, isso já é uma vez e meia a mais de restrição. Em relação à metragem quadrada, é importante lembrar que se temos um supermercado de 1.000 metros quadrados, no máximo 100 pessoas podem estar ali. Esse tipo de mudança é o que vai trazer impacto. Então, contamos que os proprietários passem a ter esse controle, vendo quantas pessoas estão lá dentro, porque isso que vai permitir que ao longo do tempo a gente tenha todas as atividades funcionando e com o critério sanitário maior ainda”, recomendou o secretário de Estado de Saúde.

Em caso de eventos, cada onda terá limitação de eventos. Na Vermelha, 30; na Amarela, 100; e na Verde, 250. O Estado afirma nas duas primeiras etapas citadas anteriormente, o protocolo é mais restritivo; envolve o controle de fluxo na entrada dos estabelecimentos, o limite de uma pessoa por atendente no comércio não essencial, a proibição de autoatendimento para reduzir o contágio dentro dos estabelecimentos, a medição de temperatura na entrada e o estímulo aos agendamentos.

Já os hotéis e atrativos culturais e naturais, será permitido 50% da ocupação na fase mais restritiva, 75% na Amarela e 100% na etapa menos restritiva.

Na área da educação, um estudo individualizado está sendo desenvolvido, conforme o Estado; as escolas ainda não passarão por mudanças neste momento. Ainda nesta quarta-feira, um Grupo de Trabalho foi criado pelo Comitê Extraordinário Covid-19 para debater as possibilidades de retomada das aulas presenciais.

Participarão do grupo membros das Secretarias de Estado de Saúde e de Educação, da Sociedade Mineira de Pediatria e da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil e Profissionais Afins.

 

Com o G1

 

Manifestantes pedem reabertura do comércio em Itaúna

 

Itaúna registra menor número de casos positivos de Covid no ano