NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 11 de dezembro de 2019

 

 

Oficialmente, a empresa Autotrans está se tornando Via Sul. Alguns coletivos já circula por Itaúna com o novo nome e nova marca, mas mantendo a cor: o laranja. A empresa que é responsável pelo transporte público em Itaúna, há mais de uma década já carregou o nome Morro Alto e ate os últimos dias operava como AutoTrans. Recentemente foi anunciado a mudança para o nome Via Sul, ainda pertencente ao Grupo Saritur.

Estão sendo produzidos materiais publicitários, para a divulgação da nova nomenclatura.

Foto divulgação ViaSul

 

Foto Bruno Freitas

 

Foto reprodução internet

 

Foto divulgação AutoTrans

 

Na última semana, Via Sul enviou um ofício ao Poder Legislativo sobre os trabalhos relativos ao reajuste da passagem, afirmando que “após tomar conhecimento do processo administrativo que o originou, foram identificados vários erros cometidos pela Comissão Municipal quando de sua elaboração”. A comissão foi designada pela portaria 5.767 de 19 de agosto de 2019.

No documento, a empresa afirmou que um dos erros mais graves foi que a Comissão teria considerado idosos acima de 65 anos como pagantes. “Somente neste item, esta falha implicou na diferença de 0,26 centavos a menos, o qual desaguará no prejuízo mensal de R$106.340,00, sendo que se não corrigidos, o Município terá que indenizar esta concessionária”

Em relação a planilha de custos, “a equipe técnica da empresa Via Sul, ao tomar conhecimento dos documentos e realizar minuciosa análise da planilha já que a Comissão não apresentou naquele momento qualquer memorando justificando suas conclusões, identificou várias inconsistências que resultou em um cálculo de tarifa incorreto.”

No dia 19 de setembro o Decreto 6.988 reajustou as tarifas em 6.83%. A empresa requereu vistas ao projeto, e segundo esta, a Comissão da Prefeitura atendeu apenas parte dos apontamentos feitos (em relação ao preço do pneu recapagem e produção quilométrica) e não na totalidade como esta teria afirmado.

“Ao realizar o cálculo do DIESEL a comissão não levou em consideração quantidade de veículos e respectivo custo por quilômetro”. Foi acrescentado ainda que em relação as DESPESAS ADMINISTRATIVAS que a Via Sul vem se adequando às novas tecnologias e investindo em equipamentos e em softwares, como a aplicativo BUSE, wi-fi, GPS e controle operacional. Foi afirmado que “a Comissão ao refazer o cálculo da planilha desconsiderou os valores concernentes o que é inadmissível.”

Foi ainda listada o cálculo  de Depreciação e Remuneração , que teria sido feito de forma equivocada – nas exatas palavras usadas no documento –  teria estipulado o valor de um ônibus convencional para os 53 veículos que compõem a atual frota, sendo que “ o correto é calcular o preço médio ponderado, onde leva em consideração a quantidade e o valor de cada tipo de veículo”

O qualitativo de passageiros apurado pela comissão foi de 439.201 em comparação ao total de 409.000 passageiros equivalentes apurados em levantamento da concessionária de transporte público. Posteriormente, o poder legislativo teria alterado a quantidade de passageiros para 436.174.

A comissão “inadvertidamente considerou os passageiros idosos, com idade acima de 65 anos como pagantes, sendo um equívoco” como analisou o ofício, que acrescentou ainda que caso o Município, não faça as correções estipuladas no edital, que foi validado pelo Ministério Público, deverá indenizar a Via Sul, pelos prejuízos sofridos.

“Somente nesse item, se não for corrigido, essa concessionária amargará um prejuízo mensal de 106.340,00 e anual de R$ 1.276.080,00″ declara.