NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 16 de setembro de 2019

 

A barragem de Carmo do Cajuru atingiu recentemente um dos níveis de água mais baixos dos últimos dois anos, com 23% do volume útil, segundo medição da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Em decorrência do baixo nível, a barragem não gera energia elétrica há pelo menos três meses, como pontuou a Cemig.

Níveis em outros anos
No mesmo período do ano passado, o nível da barragem chegava ao dobro do atual momento, com 58% do volume útil. Em 2017, a situação também foi crítica, com 27%, mas ainda assim melhor que neste ano. Na ocasião, a Prefeitura chegou a decretar situação de emergência e restringiu o uso de água potável no município.

A barragem é um dos pontos turísticos mais conhecidos da região e quem nunca imaginou poder atravessar o local andando, se assusta com o que encontra atualmente. “Assustei demais. No ano passado tinha água, hoje está assim”, lembrou o auxiliar de produção Alberto Viana.

Por causa do baixo volume, a geradora de energia que funciona na cidade foi desligada. É que com o funcionamento dela, o nível da água estava caindo ainda mais, cerca de 10 cm por dia, como pontuou o diretor técnico do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), Fábio Rabelo de Melo.

No entanto, a situação pode ficar ainda mais complicada, já que segundo a Defesa Civil do município, a previsão de uma chuva mais significativa é ainda para novembro. “Esse ano temos o agravante do adiamento das chuvas com previsão de pancadas apenas em novembro”, ressaltou a coordenadora da Defesa Civil, Ane Cristina Pereira.

Segundo meteorologistas do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), não há previsão de chuvas para o Centro-Oeste de Minas nesta semana.