NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 18 de junho de 2021

Foto: Reuters/Paulo Whitaker/Direitos Reservados

 

 

O boletim epidemiológico da incidência do Aedes aegypti no Centro-Oeste, divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), nesta quarta-feira (19), aponta que Lagoa da Prata continua com maior número de casos prováveis de dengue e chikungunya na região.

O levantamento apontou ainda que de janeiro até essa segunda-feira (17), foram registrados 1.258 casos prováveis de dengue na região, sendo 13 casos prováveis a mais que no boletim anterior, quando foram registrados 1.271. O mosquito é transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Até o momento, nenhuma cidade da região registrou morte por dengue. O Boletim desta quarta apontou ainda que foram registrados 338 casos prováveis de chikungunya e quatro de zika nas cidades do Centro-Oeste.

 

Dengue

 

De acordo com o informe, os casos de dengue foram registrados em 38 cidades da região. Lagoa da Prata é a cidade com maior número de casos, com 326 registros de casos suspeitos.

 

O número é maior que o valor somado de Pará de Minas (189) e Nova Serrana (130), respectivamente, segunda e terceira cidades com maior número de casos no Centro-Oeste.

Minas Gerais registrou 19.321 casos prováveis de dengue. Deste total, 8.030 casos foram confirmados.

Casos prováveis de dengue no Centro-Oeste

 

Cidade Número de casos
Abaeté 1
Araújos 7
Arcos 16
Bom Despacho 50
Candeias 13
Capitólio 30
Carmo da Mata 3
Carmo do Cajuru 7
Carmópolis de Minas 4
Cláudio 2
Conceição do Pará 1
Córrego Fundo 1
Divinópolis 88
Dores do Indaiá 4
Formiga 47
Igaratinga 24
Iguatama 1
Itaúna 7
Lagoa da Prata 326
Leandro Ferreira 1
Luz 2
Martinho Campos 15
Nova Serrana 130
Oliveira 3
Onça de Pitangui 5
Pains 9
Papagaios 34
Passa Tempo 1
Pará de Minas 189
Pedra do Indaiá 1
Perdigão 5
Pimenta 4
Pitangui 26
Piumhi 87
Pompéu 2
Quartel Geral 5
Santo Antônio do Monte 86
São Gonçalo do Pará 13
São Roque de Minas 1
São Sebastião do Oeste 7

Fonte: SES-MG

 

Mortes

 

De acordo com o último boletim, não houve mortes por dengue confirmadas no Centro-Oeste. Até o momento, foi confirmado um óbito por dengue no Estado.

 

Chikungunya

 

De acordo com o boletim atual, o Centro-Oeste está com 338 casos prováveis de chikungunya. A cidade com maior número também é Lagoa da Prata: são 294 registros.

 

Arcos e Formiga tem 10 casos prováveis cada da doença; Bom Despacho tem seis casos e Itaúna cinco; Santo Antônio do Monte tem quatro; Carmo do Cajuru, Moema, Nova Serrana, Pará de Minas e Perdigão têm um caso provável cada.

Segundo o informe, em Minas Gerais foram registrados 3.987 casos prováveis da doença. Deste total, 2.290 foram confirmados. Não há óbito confirmado pela doença em nenhuma cidade do Estado, de acordo com o boletim.

Zika

 

Em relação aos casos prováveis de zika, o boletim do Estado apontou um registro em Itaúna, Lagoa da Prata e dois em Santo Antônio do Monte. Em Minas, foram registrados 89 casos prováveis até o momento. Deste total, 16 foram confirmados. Não foram apontadas mortes por zika em Minas Gerais.

 

Veja os casos prováveis de Chikungunya e Zika por município:

Casos prováveis de Chikungunya e Zika

Município Chikungunya Zika
Arcos 10
Bom Despacho 6
Carmo do Cajuru 1
Cláudio 1
Formiga 12
Itaúna 5 1
Lagoa da Prata 294 1
Luz 1
Moema 1
Nova Serrana 1
Pará de Minas 1
Perdigão 1
Santo Antônio do Monte 4 2

Fonte: SES-MG

 

 

 

Por G1