NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 28 de novembro de 2020

Foto: Arquivo/Agência Brasil

 

Com o retorno das aulas presenciais nas escolas mineiras, previsto para acontecer de forma gradativa a partir do mês que vem, os estudantes do ensino estadual voltarão a contar com a merenda nas instituições de ensino. O Governo de Minas garantiu que a alimentação será oferecida para todos os discentes.

 

O auxílio de R$ 50 que estava sendo repassado em substituição à merenda, no entanto, terá sua última parcela depositada neste mês. O Bolsa Merenda será interrompido, mas o Estado afirma que os estudantes carentes não ficarão desassistidos. De acordo com o governo, outro benefício, o Renda Minas, será transferido para as famílias.

 

Desde março, por causa da pandemia, as aulas presenciais estão suspensas em Minas e, com isso, a alimentação que era servida nas escolas também foi cortada. Mas, para os estudantes que vivem na faixa da extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89, o Estado estava transferindo recursos para ajudar a colocar comida na mesa dos alunos.

 

“Na rede estadual de ensino a merenda será ofertada, porque será uma atividade regular”, garantiu a secretária de educação, Júlia Sant’Anna. Os protocolos para o retorno das aulas presenciais em Minas, incluindo como a refeição será servida, serão detalhados nos próximos dias.

 

“Divulgaremos na semana que vem os protocolos sanitários de maneira geral. Cantina equivale ao restaurante, mas para semana que vem traremos um protocolo mais específico”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Amaral.

 

Auxílio

 

A última parcela do Bolsa Merenda começou a ser depositada na quarta-feira. O benefício será descontinuado, mas outro entra em vigor para os estudantes carentes. É o Renda Minas que vai repassar R$ 39 para cada membro do grupo familiar em extrema pobreza.

 

De acordo com o Estado, mesmo os alunos que comparecerem às escolas, e tiveram a alimentação no local, terão direito ao benefício, desde que tenham renda mensal per capita de até R$ 89.

 

“Nos casamos o início do Renda Minas com o final do Bolsa Merenda”, explicou o secretário-geral do governo, Mateus Simões. Ele destacou que o novo benefício é mais amplo e vai atender mais moradores. A estimativa do Estado é que 2,5 milhões de pessoas recebam a renda, que terá três parcelas.

 

Por: Hoje em Dia