NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 15 de janeiro de 2021

Jair Bolsonaro, presidente da República – Foto: Adriano Machado – 18.mar.2020/ Reuters

 

 

Oito meses após classificar a COVID-19 como ‘gripezinha’ durante pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, o presidente Jair Bolsonaro disse que nunca usou essa expressão para se referir à doença.

 

‘Não existe um vídeo ou um áudio meu falando dessa forma’, disse Bolsonaro durante sua live semanal desta quinta-feira, pelas redes sociais.

A declaração do presidente pode ser facilmente derrubada por meio de uma rápida pesquisa na internet. No dia 24 de março, Bolsonaro afirmou que, caso fosse acometido pela doença, não precisaria se preocupar. Na mesma data, o presidente usou, também, uma expressão que ficou famosa, justificando sua suposta imunidade aos sintomas do coronavírus com o fato de ter “histórico de atleta”.

 

“No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar. Nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho, como bem disse aquele conhecido médico daquela conhecida televisão”, alfinetou, se referindo ao médico Drauzio Varella e à TV Globo.

 

 

 

Antes disso, em 20 de março, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto, Bolsonaro novamente desdenhou da doença, lembrando o atentado que sofreu durante a campanha eleitoral de 2018.

“Depois da facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar não, tá ok?”, disse.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a COVID-19 já contaminou 6.204.220 pessoas no Brasil, causando 171.640 mortes. Entre os infectados, 5.528.599 pessoas se recuperaram.

 

Do Uai