Varíola dos macacos: Brasil tem mais de 200 casos

11/07/2022 | Brasil

Os pacientes são monitorados pelas autoridades de Saúde – Imagem Cynthia S GoldSmith

 

 

O Brasil já tem 219 casos confirmados de varíola dos macacos. O total de casos foi contabilizado pela Agência Brasil, com base em informações divulgadas pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro.

 

Segundo o Ministério da Saúde, São Paulo tem o maior número de casos: 158. Em seguida, aparece o Rio de Janeiro, que, de acordo com a Secretaria de Saúde do estado, soma 34 confirmações da doença.

 

O Ministério da Saúde informa que os outros casos foram registrados nos estados de Minas Gerais (18), Paraná (três), Rio Grande do Sul (três), Ceará (dois), Rio Grande do Norte (dois), Goiás (dois) e Distrito Federal (um).

 

Minas

 

De acordo com o boletim da Secretaria de Estado de Saúde de Minas, divulgado nesta segunda-feira (11), os quatro casos mais recentes foram registrados em Belo Horizonte.

 

Conforme o balanço, até o momento, são 15 pacientes notificados na capital, dois em Sete Lagoas, na região Central, e um em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce.

 

Todos os pacientes são homens, com idades entre 22 e 46 anos, estão estáveis e em isolamento. Um deles foi internado por dificuldades de isolamento domiciliar.

 

Do total de casos confirmados, dois retornaram de viagem ao exterior, 15 realizaram viagens recentes a São Paulo e um não teve definido, até o momento, o provável local de contaminação e segue sob investigação.

 

De acordo com a SES, os pacientes são monitorados pelas autoridades de Saúde, com quadro de saúde de todos eles considerado estável.

 

Ainda segundo o Governo de Minas, a fonte provável de contaminação dos casos foi por “contato íntimo”. Além dos 18 casos confirmados, oito estão em investigação.

 

Em nota, a Prefeitura de Belo Horizonte informou que, apesar dos casos notificados na cidade, ainda não há confirmação de transmissão comunitária no município.

 

Transmissão e prevenção

 

No geral, a varíola dos macacos pode ser transmitida pelo contato com gotículas expelidas por alguém infectado (humano ou animal) ou pelo contato com as lesões na pele causadas pela doença ou por materiais contaminados, como roupas e lençóis, informa o Instituto Butantan. Uma medida para evitar a exposição ao vírus é a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel.

 

O Butantan ressalta que residentes e viajantes de países endêmicos devem evitar o contato com animais doentes (vivos ou mortos) que possam abrigar o vírus da varíola dos macacos (roedores, marsupiais e primatas). Devem também “abster-se de comer ou manusear caça selvagem”.

 

O período de incubação da varíola dos macacos costuma ser de seis a 13 dias, mas pode variar de cinco a 21 dias, conforme relato do Butantan. Por isso, pessoas infectadas precisam ficar isoladas e em observação por 21 dias.

 

Por Hoje em Dia/Agência Brasil

 

Veja também