NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 12 de dezembro de 2019

Fonte: O Tempo

 

Apenas nos cinco primeiros meses de 2019, 65 pessoas morreram por dengue em todo o Estado de Minas Gerais. O número saltou de 49 óbitos confirmados registrados até o dia 20 para os atuais 65, conforme o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde (SES-MG), nesta terça-feira (28).

Até o momento, foram registrados 341.603 casos prováveis da doença no Estado – o índice soma os casos já confirmados aos que ainda estão sob suspeição. Só em Belo Horizonte, há 37.081 moradores com quadro provável da enfermidade.

Fora as mortes confirmadas, outros 113 óbitos ainda estão sob investigação. Das 65 pessoas que morreram por dengue, nove delas viviam em Belo Horizonte, 11 em Betim, na região metropolitana, e 14 em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Os três municípios lideram o ranking de cidades com mortes pela enfermidade.Apesar disso, a Secretaria ressaltou que os óbitos em questão foram notificados ao longo de 2019 e, não necessariamente são óbitos recentes.

Arcos segue como a cidade que mais registrou casos prováveis da doença, dentre os municípios pertencentes à Superintendência Regional de Saúde (SRS) em Divinópolis, este ano: 3.244. A cidade já registrou uma morte por dengue em 2019.

O índice é assustador, principalmente se comparado com as mortes registradas por dengue no ano passado. Ao longo de todos os meses de 2018, foram confirmados apenas 12 óbitos por dengue, ainda que outros 10 estejam sob investigação.

Itaúna

Em Itaúna, até o momento não houve nenhuma morte relacionada à dengue, mas os casos prováveis passaram para 508 (na semana passada eram 420). Em relação a chikungunya já são 4 casos prováveis e  um de zika.