Cidade mineira cancela show de R$ 1,2 milhão de Gusttavo Lima

28/05/2022 | Minas Gerais

Show do cantor Gusttavo Lima custaria aos cofres da cidade o valor de R$ 1,2 milhão – Foto Érico Andrade/g1

 

 

A Prefeitura de Conceição do Mato Dentro, na Região Central de Minas Gerais, anunciou neste sábado (28) o cancelamento do show do cantor Gusttavo Lima, que custaria aos cofres da cidade o valor de R$ 1,2 milhão. Ele iria se apresentar na cidade no dia 20 de junho, durante a 30ª Cavalgada do Jubileu do Senhor Bom Jesus Do Matozinhos.

 

O evento está previsto para os dias 17 a 23 do próximo mês. O show da dupla Bruno e Marrone, que custaria R$ 520 mil, também foi cancelado.

 

Em um vídeo divulgado em rede social da Prefeitura da cidade, o prefeito Zé Fernando (MDB), afirmou que a festa “foi envolvida em uma guerra político-partidária, que nada tem a ver com a cidade”.

 

O contrato do show do Gusttavo Lima, o mais caro, ainda previa que a prefeitura pagasse a hospedagem de 40 pessoas da equipe do cantor “no melhor hotel da região” e se responsabilizasse com os gastos diários de alimentação, fixados em R$ 4 mil. Além disso, o executivo deveria fornecer o transporte do local para o artista, músicos, técnicos e produção.

 

O documento, assinado com a empresa do cantor, Balada Eventos e Produções, estabelece que o pagamento seja efetuado em duas parcelas – uma no ato da assinatura do contrato, datado de 11 de abril de 2022, e outra até o dia 15 de junho de 2022. No total, os contratos disponíveis no portal da prefeitura ultrapassam a cifra de R$ 2,3 milhões.

 

Conceição do Mato Dentro tem população estimada de 17.438 pessoas. Para este ano, o orçamento previsto pela prefeitura é de R$ 689 milhões.

 

O que diz a prefeitura

 

Em nota, a Prefeitura de Conceição do Mato Dentro disse que os processos licitatórios para a contratação de Gusttavo Lima e os outros artistas “foram realizados dentro da legalidade”.

 

Conceição do Mato Dentro – Foto Prefeitura de Conceição do Mato Dentro/ Divulgação

 

 

Segundo o município, a ideia do evento é atrair turistas, “fazendo assim com que a cidade receba de volta o investimento quase que na sua totalidade em geração de renda, seja no comércio local, nos meios de hospedagem, nos bares e restaurantes, postos de gasolina, padaria, aluguel de casas, locação de espaços públicos, dentre outros, impulsionando a diversificação da economia local”.

 

O município afirmou ainda que prevê retorno de mais de R$ 21 milhões com os shows.

 

Investigação do Ministério Público

 

A contratação de show de Gusttavo Lima com uso de recursos públicos já é alvo de investigação do Ministério Público de Roraima (MPRR).

 

A Prefeitura de São Luiz, o menor município do estado, contratou o cantor por R$ 800 mil para uma apresentação em dezembro deste ano. O município tem cerca de 8 mil habitantes.

 

Na quinta-feira (26), Gusttavo Lima disse que “não cabe ao artista fiscalizar as contas públicas”.

 

A polêmica sobre cachês pagos por prefeituras começou quando o sertanejo Zé Neto criticou a Lei Rouanet em um show bancado com verba municipal.

 

Por G1

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja também