NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 16 de setembro de 2019

O colesterol é um tipo de gordura encontrada em nosso organismo importante para o seu funcionamento normal. O colesterol é o componente estrutural das membranas celulares em nosso corpo e está presente no coração, cérebro, fígado, intestinos, músculos, nervos e pele. Nosso corpo usa o colesterol para produzir alguns hormônios, tais como vitamina D, testosterona, estrógeno, cortisol e ácidos biliares que ajudam na digestão das gorduras.

Aproximadamente 70% do colesterol é produzido pelo nosso próprio organismo, no fígado, enquanto que os outros 30% são provenientes da dieta. Contudo, ao consumir grandes quantidades de alimentos ricos em gordura, o fígado acaba produzindo mais colesterol do que o normal. Essa produção adicional significa que elas vão de um nível normal de colesterol para um que não é saudável. Tanto as taxas de colesterol muito altas quanto as muito baixas são perigosas à saúde. (1,2) O colesterol circula no sangue e, à medida que os níveis de colesterol no sangue aumentam, aumenta também o risco para a saúde. É por isso que é importante ter seu colesterol testado para que você possa conhecer seus níveis.

Tipos

Por se tratar de uma substância gordurosa, o colesterol não se dissolve no
sangue. Portanto para ser transportado através da corrente sanguínea e
alcançar os tecidos periféricos o colesterol precisa de um carregador. Esta
função cabe às lipoproteínas que são produzidas no fígado: (2,3)
Colesterol LDL

O colesterol LDL (Low-density lipoprotein) é conhecido como o mau colesterol,
é uma lipoproteína de baixa densidade, ele pode se acumular nas artérias e
coronárias podendo levar a formação de placas aterosclerose que dificultam o
fluxo sanguíneo para órgãos essenciais como coração e cérebro, aumentando
risco de infarto e acidente vascular cerebral.
Os valores de referência para LDL são:

Indivíduos com risco baixo: abaixo de 130 mg/dl
Indivíduos com risco intermediário: abaixo de 100 mg/dl
Indivíduos com risco alto: abaixo de 70 mg/dl
Indivíduos com risco muito alto: abaixo de 50 mg/dl

Colesterol HDL

O colesterol HDL (High-density lipoprotein) é dito como o bom colesterol, lipoproteína de alta densidade que retira o colesterol das artérias e transporta até o fígado para ser excretado. Especialistas acreditam que o HDL age como um limpador, levando o colesterol LDL para longe das artérias e de volta para o fígado. Lá é quebrado e passado pelo corpo. Um nível saudável de colesterol HDL pode proteger contra ataques cardíacos e AVCs. O colesterol HDL não elimina completamente o colesterol
LDL.

Os valores de referência do HDL são:

Baixo: menor que 40 mg/dl para homens e mulheres
Ideal: acima de 40 mg/dl

Colesterol VLDL

O colesterol VLDL (Very low-density lipoprotein) são lipoproteínas de muito baixa densidade. Sua principal função é entregar colesterol e triglicérides para os outros tecidos a partir do fígado. Ao serem liberados pelo fígado, as partículas de VLDL sofrem uma série de transformações na corrente sanguínea, liberando triglicérides para serem estocados no tecido adiposo ou utilizado como fonte de energia. A molécula remanescente vai dar origem a lipoproteína seguinte, o LDL.

Os valores de referência do VLDL são:

Alto: acima de 40 mg/dl
Baixo: abaixo de 30 mg/dlIdeal: até 30 mg/dl.

Colesterol Total

O aumento dos níveis de colesterol é chamado de dislipidemia. Durante muito tempo os médicos avaliaram o grau de dislipidemia através dos valores do colesterol total, que nada mais é do que a soma dos níveis sanguíneos de HDL, LDL, VLDL. Porém existem o colesterol ruim e o colesterol bom, o que torna pouca eficiente a avaliação conjunta deles.

O valor de referência para colesterol total é:

Desejável: abaixo de 190 mg/dl.

Causas

A formação de colesterol dependerá da genética, do estilo de vida, prática de atividade física e dieta. Os alimentos ingeridos são de extrema importância, pois 30% do colesterol dependerá da dieta, daí sua importância para o controle dos
níveis de LDL e HDL.

Fatores de risco

A maioria das possíveis causas para se desenvolver colesterol alto são atitudes que podemos controlar. Existem apenas alguns fatores de risco para o colesterol elevado que estão fora do nosso alcance.

Sexo e Idade

Ser mulher na menopausa aumenta o risco de colesterol alto. O hormônio feminino enquanto produzido oferece um efeito protetor sobre o colesterol HDL. Por esta razão, desde a puberdade até a menopausa, as mulheres geralmente
têm níveis mais elevados de colesterol HDL(bom) e níveis mais baixos de colesterol LDL (mau) do que os homens. Após a menopausa, as mulheres tendem a ter níveis mais elevados de LDL do que os homens, aumentando as chances de doença coronária.

História familiar

Ter uma história familiar de colesterol alto é também um fator de risco. Se o colesterol alto é devido aos genes herdados, uma pessoa pode nascer com níveis elevados de colesterol LDL devendo realizar acompanhamento médico desde a infância.

Obesidade

Um índice de massa corporal (IMC) de 30 ou mais coloca uma pessoa em maior risco de colesterol alto.

Inatividade Física

Não fazer exercícios aumenta o risco de colesterol LDL alto.

Fumar

O tabagismo prejudica as paredes arteriais tornando-as mais suscetíveis ao acúmulo de colesterol LDL. Fumar também pode diminuir o colesterol HDL.

Diabetes

Pessoas com diabetes mellitus são mais suscetíveis a possuírem baixos níveis de colesterol HDL (bom) e níveis elevados de colesterol LDL (mau). Assim como o tabagismo, o açúcar elevado no sangue pode danificar as paredes arteriais.