NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 25 de janeiro de 2021

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

 

Um relatório da Universidade de Oxford, no Reino Unido, aponta que os brasileiros mostraram uma “fadiga” com as medidas de contenção ao novo coronavírus (Sars-CoV-2) com o passar dos meses da pandemia.

 

No documento, publicado na terça-feira (24), os cientistas alertam que, no nível estadual e municipal, as políticas contra a Covid-19 permanecem eficazes, mas todas as regiões do Brasil ainda correm risco alto com a reabertura de atividades.

 

O relatório marca a estreia de uma ferramenta de dados (https://www.bsg.ox.ac.uk/research/research-projects/brazils-covid-19-policy-response) que a partir de agora vai ajudar a saber se as medidas de combate à Covid-19 aqui no Brasil estão sendo eficazes. A ferramenta foi criada por pesquisadores da universidade de oxford em parceria com cientistas de universidades brasileiras.

 

Considerando dados de diversas bases – sobre mobilidade, testagem, número de casos e medidas de restrição – os cientistas perceberam que as pessoas passaram a sair mais de casa entre março e setembro (dados mais recentes disponíveis).

 

“Por um lado, as medidas são efetivas no sentido que a gente vê uma mudança no comportamento das pessoas com base nesses índices [de mobilidade]. Uma análise estatística de deslocamento mostra que sim, teve um impacto – mas, de uma forma muito preocupante, esse impacto diminui ao longo do tempo. As pessoas foram ficando cansadas de alguma forma”, explica Beatriz Kira, pesquisadora brasileira em Oxfrod e uma das autoras do relatório.

 

Usando dados de mobilidade, eles perceberam que, por exemplo, enquanto os índices de pessoas ficando em casa chegou a índices de 50% em abril, em setembro esse percentual passou a ficar abaixo de 40%.

 

Por: G1