NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 21 de julho de 2019

Foto: Daniel Protzner/ ALMG

Os deputados mineiros aprovaram por unanimidade, na noite da ultima terça-feira. o Projeto de Lei (PL) 499/19, que prevê o repasse automático de recursos do IPVA e do ICMS para os municípios. Além disso, o texto também prevê o repasse automático das cotas municipais de impostos federais.

Estes recursos da União englobam cotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide). Também foram incluídos na proposta os repasses obrigatórios para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

O Projeto é de autoria do deputado Hely Tarqüínio e se virar lei, o repasse automático aos municípios será feito por meio de documento de arrecadação, de 50% do IPVA dos veículos licenciados em cada cidade, sem que os recursos passem pelo caixa do Estado. Quanto ao ICMS, 25% dos recursos arrecadados serão depositados diretamente em conta conjunta dos municípios.

A proposta ainda prevê que no primeiro dia útil de cada semana, o Estado deve informar os valores devidos a cada um, segundo critérios da legislação vigente, e o estabelecimento de crédito fará os depósitos individuais até o segundo dia útil. Além disso, no caso de haver débitos assumidos pelo municípios com o Estado ou terceiros, ou em caso de compensação de créditos pertencentes ao Estado, esses débitos deverão ocorrer em atos distintos do crédito.

Já as verbas do IPI e da Cide pertencentes aos municípios e repassadas da União ao Estado, deverão ser creditadas imediatamente nas contas individuais de cada município, conforme prevê o texto.

Atualmente, as cotas de IPVA e ICMS e os tributos federais já são devidas ao municípios, no entanto, em 2017 e 2018 houve retenção destas parcelas por parte do Executivo estadual, assim como do Fundeb.