NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 2 de dezembro de 2020

Foto: Divulgação/Prefeitura de Divinópolis

 

Cidade polo do Centro-Oeste de Minas Gerais, Divinópolis confirmou na última  quinta-feira (17) que avançaria para a “onda verde” do programa estadual Minas Consciente. A decisão foi tomada após a Macrorregião Oeste integrar a fase mais avançada do plano. Embora os 54 municípios que a compõem estejam autorizados a migrar, o Comitê Macrorregional de Enfrentamento à COVID-19 recomenda que parte se mantenha na etapa mais restritiva.

 

A onda verde compreende o último nível do plano Minas Consciente, fase em que são permitidas atividades como bares com música ao vivo, cinemas e parques. Todas as aberturas devem respeitar os protocolos estipulados pelo Governo de Minas, que incluem padrões de distanciamento social e práticas de higienização. Entretanto, nem todas as microrregiões do território Oeste conseguiram alcançar a pontuação suficiente para avançar.

Das oito microrregiões que compõem a macro, cinco possuem indicadores que permitem o avanço para a “onda verde”, são elas: Campo Belo, Oliveira/Santo Antônio do Amparo, Formiga, Bom Despacho e Divinópolis. A pontuação das micros de Pará de Minas e Lagoa da Prata/ Santo Antônio do Monte sinalizam a “onda amarela”. A que está na pior situação é a de Itaúna, na “onda vermelha”.

 

Mesmo que o programa permita que os prefeitos escolham seguir a macro ou micro, o Comitê Macrorregional emite recomendações semanais. A orientação é para que “os municípios das microrregiões que estão na amarela e vermelha optem pela onda mais restritiva até que os indicadores estejam favoráveis a uma mudança de onda”.

 

Semanalmente, o Centro de Operações Estratégicas (COE) se reúne para analisar a situação das macrorregiões, decidindo quando à regressão, avanço ou manutenção das mesmas nas ondas de retomada econômica. Esses resultados são divulgados às quartas-feiras e divulgados na quinta-feira. Cada atividade é pautada por protocolos rígidos que garantem segurança em saúde.

 

“Vale ressaltar que o avanço de ondas não significa que não há mais pandemia, mas apenas que os indicadores melhoraram”, destacou a regional.

 

Avanço para a “Onda Verde”

Desde a semana passada a microrregião de Divinópolis está autorizada a avançar para fase mais flexível do programa. Entretanto, dos oito municípios apenas um migrou para a “Onda Verde”, Cláudio. O Comitê Municipal alegou que os indicadores dos últimos 15 dias favoreceram a reabertura de setores que “estavam sendo prejudicados”, como o de eventos. A cidade tem 341 confirmações de COVID-19 e cinco mortes, conforme o boletim desta quinta-feira (17).

 

Já Divinópolis preferiu seguir a macrorregião Oeste ,que até então estava na amarela. Ao mesmo tempo, ampliou a flexibilização de alguns setores que já estavam funcionando. Com a nova posição, a partir deste sábado (19), a cidade que tem 1.276 casos confirmados do novo coronavírus e 48 mortes, permitirá a retomada de eventos para até 30 pessoas, bufês, cinemas, música ao vivo em bares, entre outros.

 

A prefeitura de Santo Antônio do Monte informou que está planejando o retorno gradual de atividades que estão fechadas, com base nos indicadores. Dos 310 casos confirmados registrados desde o início da pandemia, 288 pacientes estão curados, oito continuam em isolamento domiciliar e sete estão internados.

 

O Comitê de Enfrentamento à COVID-19 de Itaúna irá se reunir para definir quais passos irá seguir. Mesmo com a microrregião no nível mais restritivo, a cidade optou em manter-se na “onda amarela”. Com o avanço da macro para a verde, uma nova avaliação será feita. A tendência é que permaneça como está.

 

Bom Despacho também irá definir se irá ou não reabrir mais setores. O município tem 513 casos registrados e 14 mortes.

 

Por: Estado de Minas