NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 16 de julho de 2019

O Tempo

Minas Gerais tem 488 trechos em rodovias federais não concedidas à iniciativa privada que, em função dos riscos de acidentes, deveriam receber ao menos um equipamento de fiscalização de velocidade. O número de radares necessários para garantir a segurança apenas no Estado, que tem a maior malha rodoviária do Brasil, é quase o dobro dos 265 aparelhos que estão operantes em todo o país. Os dados constam em um levantamento feito pela área técnica do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), em abril deste ano. O estudo foi entregue à Justiça Federal e vai na contramão do discurso do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que anunciou a retirada dos radares de rodovias federais para acabar com o que ele chamou de “indústria da multa”.

Ainda segundo o levantamento, em todo o país seriam necessários 4.000 equipamentos de fiscalização de velocidade. Em São Paulo, falta a cobertura de apenas 35 trechos de estradas da União e, no Rio de Janeiro, de 106. Os dados foram entregues para a 5ª Vara Federal em Brasília, no último dia 30, por determinação da Justiça. A juíza Diana Wanderley suspendeu, por meio de liminar, a retirada de radares até que o governo comprovasse que a mudança na política não reduziria a segurança nas estradas. Por isso, o levantamento foi realizado.

Acidentes

O Dnit foi procurado para comentar o estudo e a mudança na política de segurança nas rodovias, mas, até o fechamento desta edição, não havia se pronunciado. Porém, no último relatório de gestão publicado pelo órgão, com dados de 2017, ficou clara a necessidade de radares em rodovias.

O Dnit fez um comparativo entre a quantidade de acidentes ocorridos antes e depois da instalação de cada equipamento de fiscalização de velocidade. Com o resultado de todos os aparelhos em mãos, foi calculada a média. No Brasil, com os radares instalados, houve uma queda de 20%, passando de 44.977 para 35.810 acidentes. Em Minas, a redução das tragédias nas vias federais não concedidas foi ainda maior após as fiscalizações, de 29%, ao passar de 4.779 para 3.390. Ou seja, houve uma redução de 1.389 acidentes.

O trecho mineiro controlado por radar com maior incidência de acidentes registrados está na BR–050, na altura do KM 70,3, em Uberlândia, no Triângulo. Lá, o equipamento foi instalado em junho de 2013. Nos 12 meses que antecederam a implantação foram registradas 91 tragédias. No ano seguinte, foram 80, resultando em uma queda de 12%.