NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 5 de junho de 2019

O excesso de peso e a obesidade vêm aumentando de forma preocupante em termos de saúde pública no Brasil. Esses dois fatores estão associados a uma série de doenças, tais como diabetes mellitus tipo 2, apneia do sono, dislipidemia, hipertensão arterial sistêmica (HAS), osteoartrite e câncer.

Inúmeras são as estratégias para a redução de peso. Entretanto, a perda ponderal e a manutenção desta em longo prazo representam na prática clínica um problema de difícil manejo.

Nesse cenário, é atraente a ideia de perda de peso rápida sem a adoção de uma estratégia de redução da ingestão de energia proveniente da dieta e aumento do gasto energético a partir de prática regular de atividade física.

Por esse motivo, foi crescente o surgimento de dietas populares ditas “milagrosas” que prometem combater a obesidade, como dieta da sopa, da fruta, da lua, da proteína, low carb, cetogênica, paleolítica, entre tantas outras. Algumas dessas dietas possuem sim fundamento científico, mas a maioria não passa de invenção da mídia.

O processo de emagrecimento não é realizado por meio de “milagres” como a maior parte das pessoas pensa, o sucesso do mesmo é derivado de muita força de vontade e de um plano alimentar adequado. É possível dar suporte a esse processo com algumas dicas valiosas, mas chamo atenção para a individualidade e a complexidade que esse processo exige.

1-       Déficit calórico: você precisa comer menos calorias do que pode gastar. Exemplo: se você consome 3500 calorias ao longo do dia e suas necessidades (de acordo com seu peso, altura, sexo, rotina, entre outros fatores) são de 2500 calorias, obviamente você vai engordar. Então, você precisa consumir menos que 2500 calorias para que ocorra uma perda de peso adequada. No entanto, somente um nutricionista poderá calcular suas necessidades e determinar quantas calorias devem ser diminuídas;

2-       Dieta variada: para emagrecer NÃO é preciso deixar de consumir alimentos ricos em carboidratos (pães, macarrão, arroz, frutas, etc) e em gorduras (azeite, abacate, castanhas, amendoim, etc) e dar prioridade apenas aos ricos em proteínas (ovos, carnes, leites e derivados). Uma boa dieta é constituída desses três macronutrientes e de vitaminas e minerais, o que torna a alimentação variada e diminui as chances de haver deficiências nutricionais. Além disso, quando você consume uma variedade maior de alimentos, as chances de você se “cansar” da deita são bem menores;

3-       Restrição gera compulsão: se você começa uma deita excluindo totalmente todos os alimentos não saudáveis que você gosta (chocolate, fast foods, sorvete, refrigerante, etc) provavelmente não terá sucesso e ao invés de emagrecer poderá desenvolver compulsão alimentar e ganhar mais peso. Minha sugestão é diminuir quantidade e frequência. Por exemplo, se você bebe 500ml de refrigerante todos os dias, comece a tomar 300 ml 4 vezes na semana e vá diminuindo até não ser mais um hábito e sim uma exceção. A compulsão alimentar é um distúrbio caracterizado pela falta de controle, onde existe uma vontade incontrolável, uma necessidade de comer, de ingerir alimentos específicos, mesmo sem sentir fome. E mesmo estando satisfeita, a pessoa não para de comer, o que leva a ingerir enormes quantidades de alimentos em muito pouco tempo. Além disso, após uma crise a pessoa se sente extremamente culpada. Exceções não engordam, hábitos sim!

4-       Organização e planejamento: essa dica é valiosa! Se você deixa todas as refeições da semana prontas na geladeira, as chances de sair da deita são mínimas. Domingo é um ótimo dia pra ir ao supermercado, fazer as compras pra semana e preparar as refeições. As verduras você pode lavar, picar, preparar e armazenar na geladeira por até 5 dias.  Legumes,  carnes, arroz, macarrão e feijão você pode congelar pronto, na hora de comer é só descongelar.

5-       Atividade física: movimente-se! A prática regular de atividade física, pelo menos 30 minutos 5 vezes na semana é uma forte aliada no processo de perda de peso e manutenção da saúde. Você pode fazer o que mais se identificar, musculação, natação, luta, vôlei, corrida, Crossfit, pilates, futebol, só depende da sua força de vontade;

6-       “Nunca mais eu vou poder comer o que eu gosto?”: esse processo exige abdicação de algumas coisas por um certo tempo, não de tudo, não se desespere. Você precisa pensar que o emagrecimento é só um momento e que após ele você precisa ter uma vida saudável para manter o peso e preservar a saúde. Por isso, a reeducação alimentar é a melhor escolha, pois você vai aprender a comer bem pra sempre. Dietas são utilizadas por um curto período de tempo, porque a longo prazo não possuem eficácia comprovada. Tenha consciência que um hambúrguer sozinho não tem o poder de te engordar, como uma salada sozinha não tem o poder de te emagrecer. Tenha constância nas suas boas escolhas isso vai trazer resultados positivos. Não se culpe em momento nenhum, hoje não deu certo? Ok! Amanhã é um novo dia para fazer tudo de novo;

7-       Peso: o peso não é o melhor parâmetro para avaliar o processo de emagrecimento. Uma avaliação adequada desse processo deve levar em conta o percentual de gordura e as circunferências corporais. Então, se você está comendo de forma saudável e se exercitando com frequência, mas o peso na balança não diminuiu como você esperava, fique tranquilo!

8-       Paciência e persistência: o processo de perda de peso é difícil e demorado, porém não é impossível! Você não ganhou peso em uma semana ou um mês, então tenha paciência e persista. Vão ter dias que você não vai querer saber de fazer dieta e está tudo bem, no dia seguinte você recomeça. Só não pode ficar a espera de um milagre e desistir de todos os seus objetivos e  da sua saúde. Só VOCÊ tem o poder de mudar os seus hábitos em prol de uma vida mais saudável!

 Essas dicas não dispensam um acompanhamento nutricional individualizado. Se você deseja emagrecer procure um nutricionista para melhor orientá-lo de acordo com as suas necessidades.

Fernanda Alves
Bacharel em Nutrição pela Universidade de Itaúna
Nutricionista na Academia Body Rock
Contato: (37) 9 9947-3135
Instagram: @fernandamarlnutri