Empresas proprietárias da Barragem de Itaúna emitem nota sobre vídeo

9/02/2022 | Itaúna

Barragem Dr. Augusto Gonçalves de Souza (Barragem Velha) – Foto divulgação

 

 

Após imagens compartilhadas nas redes sociais nesta quarta-feira 09/2, mostrando uma erosão as margens da MG-431, na região próxima a Barragem Dr. Augusto Gonçalves (Barragem Velha), as empresas proprietárias, Companhia Itaunense e a Companhia Tecidos Santanense divulgaram nota em relação ao vídeo.

 

O trecho que fica entre Itaúna e Itatiaiuçu foi totalmente liberado no fim da tarde, após ficar no sistema Pare-Siga ao longo desta quarta-feira 09/2.

 

Ainda na tarde desta quarta, uma empresa terceirizada de Pará de Minas fez uma obra paliativa, colocando pedras com terra, para tentar conter a erosão, até que uma obra mais elaborada possa acontecer. No início da noite o transito foi totalmente liberado.

 

Pela manha, segundo informações apuradas pelo Jornalismo da Rádio Santana, a Policia Militar Rodoviária esteve no local e afirmou se tratar de uma erosão embaixo da pista, tendo o DER, Departamento de Estradas e Rodagens sido acionado para averiguar a situação da pista.

 

Veja o vídeo

 

 

Leia a nota na integra 

 

Em relação à Barragem do Benfica e ao vídeo que está circulando nas redes sociais em 09/02/2022, esclarecemos que desde o final das fatídicas chuvas de janeiro, as comportas estão abertas com volume aproximado de 15 m3/s, o que possibilitou que a barragem parasse de verter.

 

Como já explicado na nota emitida em 11 de janeiro de 2022, a mesma é construída em sistema de soleira livre, ou seja, o reservatório foi projetado para verter quando atinge seu limite, sendo normal esse tipo de situação. Procurou-se diminuir um pouco seu volume para que fosse possível receber mais águas das chuvas que estavam por vir.

 

Na data de 09/02/2022 as comportas permanecem com este mesmo volume de abertura, 15 m3/s, sendo que a barragem começou a subir seu volume hoje; ou seja, estamos recebendo mais água, do que está saindo na vazão de 15 m3/s. Sendo mais claro, se não houvesse a barragem do Benfica, neste momento o rio São João já estaria em volume bem maior do que se encontra neste momento.

 

Ocorre que as chuvas estão ocorrendo com mais intensidade do que o esperado para esta mesma época, em relação a anos anteriores. Percebe-se que os ribeirões Joanica e Capotos, que não recebem nenhuma água da Barragem do Benfica, já estão com seus volumes muito acima do normal, pelo excesso de chuvas que está caindo na cidade de Itaúna e toda a região.

 

Não podemos controlar a força das águas ao longo do Rio São João, nem de seus afluentes ao longo do Município de Itaúna (destaque para o grande volume de águas no ribeirão Córrego do Soldado, que sequer passa pela Barragem do Benfica).

 

Solicitamos que não divulguem/repassem notícias não verificadas; e continuem sempre atentos às noticias e protocolos emitidos pela Prefeitura Municipal de Itaúna e Defesa Civil.

 

 

 

Veja também