NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 14 de novembro de 2019

Imagem Reprodução Internet

Uma aluno de 17 anos com um facão, um simulacro de pistola e uma garrucha dentro de escola. Esse foi o cenário para uma tragédia em Caraí, no Vale do Jequitinhonha. Era por volta de 8h da manhã quando o estudante atirou contra dois colegas na manhã desta quinta-feira (7) durante o período de aulas na Escola Estadual Orlando Tavares, em Ponto de Marambaia.

Rejeições amorosas podem ter sido a motivação para o crime. Sem conseguir atingir seus possíveis alvos, duas adolescentes com quem ele queria namorar e que o teriam rejeitado, o suspeito disparou dois tiros com a garrucha de seu pai contra a porta da sala onde queria entrar – no entanto, a professora, em aula no momento do ataque, conseguiu fechá-la e barrou o impacto dos tiros.

Uma das vítimas, um rapaz de 16 anos, tentou ajudar a mulher a frear a ação do colega e, por isso, sofreu um disparo na altura do pescoço. A outra vítima, também um adolescente, mas este com 17 anos, seguiu à linha de frente da sala e acabou atingido no braço.

“Informações preliminares colhidas com os alunos apontam que, recentemente, duas estudantes da escola se negaram a ter um relacionamento com o suspeito, a namorar com ele. E essa teria sido a motivação para o crime. Mas, durante entrevista, quando perguntado sobre a motivação para sua prática criminosa, o adolescente não quis comentar o que o fez adotar essa conduta”, explica o tenente coronel Marinho, à frente da ocorrência. Alguns minutos após os disparos, o estudante foi contido pela Polícia Militar e está sob custódia da corporação.

Os feridos

Os dois adolescentes atingidos receberam socorro rápido e foram levados ao hospital Nossa Senhora Mãe da Igreja, no município de Padre Paraíso – vizinho a Ponto do Marambaia e Caraí. Segundo informações da Polícia Militar, nenhum dos dois corre risco de vida. Além deles, a professora que fechou a porta da sala de aula e impediu o ataque também precisou ser socorrida. Ela permanece internada em estado de choque.

O Hospital Nossa Senhora Mãe da Igreja informou que “um dos adolescentes recebeu transfusão sanguínea e permanece estável, aguardado em USA (Unidade de Saúde Avançada) para Teófilo Otoni. Ofertado o suporte dos serviços de assistência social e psicológico do município de Padre Paraíso de forma imediata, bem como os familiares das vítimas e outros estudantes”, escreveu em nota.

O suspeito, cuja identidade ainda não foi divulgada pela Polícia Militar, foi preso ainda nesta manhã e, com ele, apreendida a arma usada no crime, uma garrucha com dois canos, e ainda um facão. Há a possibilidade de que ele tenha contado com o auxílio de um comparsa para atirar contra os estudantes e, por isso, os militares patrulham a região na tentativa de encontrar este segundo envolvido no crime.

A reportagem  procurou a escola, mas não conseguiu contato através dos telefones disponíveis nas redes sociais da instituição. A Secretaria Estadual de Educação, responsável pelo colégio onde os disparos aconteceram, ainda não respondeu aos nossos questionamentos – entre eles a confirmação se o suspeitos e as vítimas realmente são estudantes da unidade, quais suas idades e quais as séries por elas frequentadas.

Por O Tempo