NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 20 de junho de 2021

 

licenca ambiental aeroporto confins

 

 

 

 

 

 

A falta da licença ambiental é, neste momento, o maior empecilho para a continuidade das obras de reforma e expansão do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, mais conhecido como Aeroporto de Confins, no município de mesmo nome, na região metropolitana de Belo Horizonte. Essa demanda foi apresentada pela direção da BH Airport, concessionária do aeroporto, aos deputados da Comissão de Turismo, Indústria, Comércio e Cooperativismo da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em visita na tarde dessa segunda-feira (6) ao aeroporto.

Durante a visita, o deputado Antônio Carlos Arantes (PSDB), presidente da Comissão, e Roberto Andrade (PTN), assistiram a uma apresentação dos planos da concessionária para os 30 anos em que administrará o aeroporto, período que começou em abril do ano passado e vai se estender até 2044. De olho na Copa do Mundo, foram feitas intervenções emergenciais, sob a responsabilidade da Infraero, que, de acordo com os atuais administradores do aeroporto, não foram ainda totalmente concluídas.

Parte dessas obras, 53{4f38b4b7d8b4b299132941acfb1d57d271347fbd28c4ac4a2917fcb5fee07f0b} segundo cálculos da concessionária, que incluem a expansão da pista de 3.000 para 3,6 mil metros, foram paralisadas em agosto e o restante segue em ritmo lento. Agora, para dar novo impulso à revitalização do Aeroporto de Confins, a direção da BH Airport cobra uma definição do poder público, solicitando o apoio da Assembleia de Minas para isso.