NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 20 de abril de 2021

Foto Reprodução Globo

 

 

Pela quinta noite seguida neste carnaval, o Rio de Janeiro teve festas clandestinas e aglomeração de pessoas sem máscara, apesar dos esforços da prefeitura em tentar impedir esses eventos.

Muitas das festas atravessaram a madrugada e continuavam com dia claro, já na manhã desta terça-feira (16).

Era o caso de um restaurante-boate no alto do Morro do Vidigal, na Zona Sul. Às 6h30, centenas de pessoas se apinhavam em diferentes pistas de dança.

Desde o início do ano, esses espaços estão interditados pela Prefeitura do Rio, e casas noturnas só podem funcionar com clientes sentados.

A TV Globo apurou que a casa já tinha sido notificada pela prefeitura por desrespeitar as normas na pandemia.

O fim de semana no Vidigal também teve aglomeração. Vários bares estavam cheios, e na madrugada de domingo teve show com casa lotada.

Mais uma vez, points boêmios como as ruas Olegário Maciel, na Barra, e Dias Ferreira, no Leblon, estavam lotados.

A Olegário Maciel chegou a engarrafar por volta da 1h — e muita gente bebia no meio da rua.

Perto da Dias Ferreira, na Praia do Leblon, no meio da areia, um grupo festejava por volta das 6h.

Segundo a secretaria de Ordem Pública (Seop), o Leblon é um dos bairros com o maior número de autuações por aglomeração nesse fim de semana.

 

Repressão da Zona Sul ao Centro

A Guarda Municipal foi até uma boate em Copacabana e mandou embora pessoas que esperavam na fila.

Na Praia de Ipanema, agentes também conseguiram dispersar um grupo na altura da Rua Farme de Amoedo.

Com policiamento reforçado até com cavalaria, a Lapa ficou vazia na madrugada desta terça de carnaval — até as barraquinhas da Praça dos Arcos estavam desertas.

Por G1