NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 23 de janeiro de 2020

A tensão política entre os Estados Unidos e o Irã já causa impactos nas cotações internacionais de petróleo. Exemplo disso é alta de 5% no preço do barril do tipo Brent na última semana.

Diante disso, já existe a expectativa de repasse desse aumento à gasolina vendida no Brasil que, ao chegar às bombas de combustível, acompanhará uma alta acumulada de quase 4,31% nos últimos quatro meses de 2019. A constatação é de um estudo realizado pela empresa de pagamentos eletrônicos ValeCard.

O comparativo foi feito com base em levantamento de preços que contempla mais de 20 mil postos de todo país. Em setembro do ano passado, o litro da gasolina comum custava, em média, R$ 4,524 nos estabelecimentos brasileiros; três meses depois, o valor médio foi para R$ 4,719.

Em dezembro, Minas Gerais (R$ 4,916) registrou o terceiro maior custo pelo litro de combustível do país, atrás do Rio de Janeiro (5,084) e do Acre (4,99). No âmbito das capitais, Rio (R$ 5,076) e Belém (R$ 5,005) foram as cidades com gasolina mais cara. Curitiba (R$ 4,295) e Manaus (R$ 4,324), por sua vez, apresentam os valores mais amenos da pesquisa. Belo Horizonte ocupa o sexto lugar do ranking, com preço médio de R$ 4,787.
Por Uai