NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 1 de dezembro de 2020

Foto Reprodução Internet-Divinews

 

A Prefeitura de Divinópolis informou que a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria do Hospital de Campanha atingiu o limite máximo. A unidade foi montada no estacionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto para atender especificamente casos da Covid-19 na região. A taxa de ocupação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), por enquanto, está estável, segundo o Executivo.

 

A taxa com 100% de ocupação preocupa a Secretaria de Saúde do município, já que a unidade que está em operação desde abril, é referência para a região e atende pacientes de Araújos, Perdigão, Carmo do Cajuru, Cláudio, Itapecerica, São Gonçalo do Pará, São Sebastião do Oeste e Divinópolis.

 

O Hospital de Campanha está previsto no Plano Especial de Combate ao Coronavírus e conta com 20 unidades de enfermaria, neste momento todas ocupadas, e 35 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Deste número, seis leitos estão ocupados com pacientes, segundo o coordenador da unidade, o médico Tarcísio Freitas.

 

“Tem sido aumentado consideravelmente o número de vagas solicitadas, principalmente os leitos de enfermaria e até mesmo nessa última semana, os casos de UTI têm aumentado bastante. Então isso é uma coisa nos acende um sinal de alerta porque pode ser que esse pico pode estar próximo, seja no final desse mês ou início do mês de agosto”, detalhou.

 

Outra preocupação é que a liberação dos leitos ocupados não ocorre frequentemente, já que a média de tempo de internação dos pacientes com coronavírus varia entre 14 e 21 dias, segundo a coordenação médica do Hospital de Campanha.

 

“As pessoas parecem estar relaxando quanto ao isolamento social. Elas estão inerentes à situação e isso acaba aumentando o ritmo de contágio e aumentando a taxa de ocupação das unidades”, destacou Tarcísio.

 

Coronavírus na região

 

A regional de saúde de Divinópolis é referência para outras 54 cidades da região Centro-Oeste. Isso significa que pacientes de todas essas cidades podem, eventualmente, serem internados em hospitais da cidade. Conforme o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES) desta sexta-feira (10), Divinópolis segue com o maior número de casos de Covid-19 na região. São 432 casos confirmados e 12 mortes pela doença.

 

Em seguida, o boletim aponta Lagoa da Prata como a cidade com mais casos no Centro-Oeste. São 287 confirmações e duas mortes. Em terceiro lugar no ranking das cidades com maior número de casos de coronavírus está Formiga. O município 220 confirmações e duas mortes pela doença.

 

Boletim municipal de Divinópolis

 

Em contrapartida, o Boletim Diário da Prefeitura confirmou uma nova morte causada pela Covid-19 foi em Divinópolis nesta sexta-feira (10). A vítima tinha 79 anos e apresentava comorbidades. Com o novo registro, Divinópolis passa a ter 16 óbitos pela doença segundo os dados municipais.

 

Segundo a Prefeitura, o idoso tinha doença cardiovascular crônica, diabetes e pneumopatia crônica. Ele foi hospitalizado no Hospital Santa Lúcia no dia 26 de junho e teve resultado positivo para a doença após realização de teste rápido no dia 30 do mesmo mês. Ele faleceu nesta sexta.

 

Além do novo óbito, Divinópolis registrou 15 novos casos do novo coronavírus em 24h, comparado ao boletim desta quinta (9). Com isso, a cidade tem 459 resultados positivos para a doença.

 

Por: Agência Brasil