NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 28 de novembro de 2020

Expominas vai receber quase 1.000 leitos para atender pacientes do Covid-19 – Foto: Alex de Jesus

 

Inaugurado no último dia 13, o hospital de campanha instalado no Expominas, no bairro Gameleira, região Oeste de Belo Horizonte, ainda não está funcionando nesta quarta-feira (22). Apesar disso, a equipe, 20 médicos, cinco psicólogos, 20 técnicos de enfermagens e 100 soldados da Polícia Militar – que devem atuar na administração e na segurança do espaço – estão “à disposição” para o início das atividades. O governo estadual alega falta de demanda.

A unidade, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES), tem o “conceito de hospital de ‘porta fechada’”, conforme postula a pasta em nota e, por isso, ainda não funciona.

“O Hospital de Campanha tem conceito de hospital de ‘porta fechada’, ou seja, será utilizado apenas após deliberação SES, a qual detém a regulação dos leitos no estado de Minas Gerais. Apenas será encaminhado ao Hospital de Campanha o paciente que estiver em condições de receber alta dos leitos dos hospitais da Rede Fhemig”, diz o texto encaminhado a O TEMPO.

Dos 768 leitos que, segundo a SES, funcionarão eventualmente no local, apenas 30 estão habilitados – sendo 20 de enfermaria e 10 de estabilização. Não está prevista instalação de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). “O Hospital de Campanha entrará em funcionamento quando houver demanda”, pontua a secretaria.

Com isso, pacientes só serão transferidos para o espaço em caso de “lotação das enfermarias dos hospitais convencionais” da região Metropolitana de Belo Horizonte. Com isso, poderá “ser solicitada ao Hospital de Campanha vagas de clínica médica para finalização dos tratamentos”, justifica o governo. Até o momento, nenhuma foi solicitada, de acordo com a SES.

“Para tanto, os hospitais e unidades de saúde da Rede Fhemig (Júlia Kubitschek e Eduardo de Menezes), referências no enfrentamento à covid-19, devem formalizar solicitações de transferência à SES-MG, o que até o momento não foi necessário. Por esse motivo, o Hospital de Campanha ainda não tem pacientes internados”, justifica a secretaria.

 

Empresa maranhense fará gestão do hospital

O hospital de campanha instalado no Expominas será gerido pelo Instituto Brasileiro de Políticas Públicas (Ibrapp), empresa com sede no Maranhão. A organização foi escolhida em processo seletivo promovido pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) que foi concluído nos últimos dias.

O governo estadual confirmou a informação a O TEMPO e informou que a “ativação do contrato se dará mediante demanda e será orientada pela SES”. Atualmente, a gestão é do governo do Estado.

Por O Tempo