NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 2 de dezembro de 2020

Claudio crime corrego

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Moradores, sitiantes e comerciantes do Córrego do Soldado, zona rural de Itaúna estão desesperados com a falta de segurança naquela localidade e procuraram a Radio Santana FM, para mais uma vez pedir socorro às autoridades do Município. Segundo alguns deles (que não querem se identificar por medo de represálias), já foram muitas as denúncias, várias as ligações e ocorrências registradas junto à polícia, mas de nada adiantou.

 

E não pensem que os denunciantes ser referem a um grupo ou quadrilha de infratores, não, desafiando a lei a ordem e afrontando a justiça, apenas um homem  cujo o nome informaram ser CLAUDIO LUIZ RODRIGUES, conhecido como CLAUDINHO, vem tocando medo, pânico e pavor na comunidade do Córrego do Soldado, os denunciantes questionam até mesmo o poder das autoridades e a capacidade de conter a ação de apenas um homem que na maioria das vezes, sozinho e algumas outras, acompanhado de comparsas faz e desfaz com o patrimônio alheio e com a comunidade local.

 

Os que moram no Córrego do Soldado convivem todos os dias com as ameaças, inseguranças e muitas das vezes com as ações de Claudinho que chega por vezes, segundo alguns relatos, a ameaçar, intimidar e se apropriar da casa dos moradores para uso próprio.

 

 Um morador passou por uma situação inusitada dia destes, acostumado a acompanhar as celebrações religiosas na igreja da região, saiu com a família para a missa, como os passos dos moradores podem ser facilmente vigiados por se tratar de uma comunidade relativamente pequena, o criminoso aproveitou a ausência do morador invadiu sua casa com um grupo de amigos tomando conta da cozinha, abrindo a despensa, geladeira e preparando um almoço para si e para os comparsas. Ao final da missa e ao chegar em casa, o morador se assustou com a cena, tentou colocar o rapaz e amigos para fora, mas não só ele, como toda a família foram escorraçados e ameaçados de morte.

 

As casas e quintais locais são continuamente invadidos pelo assaltante, que também de acordo com os moradores é usuário de drogas, ele inclusive adota a tática do terror, pois costuma enviar cartas com ameaça de morte para as residências caso alguém contrarie sua vontade.

 

Em outra data não muito distante, o proprietário de um estabelecimento comercial da região teve sua empresa invadida pelo mesmo criminoso, que além de furtar ainda colocou fogo no local.

 

Os que possuem sítios, não sabem mais se poderão ter um final de semana de tranquilidade e descanso com segurança ou se serão surpreendidos pela ação furtiva e violenta do infrator, ou se ao menos encontrarão seu patrimônio inteiro. Por medo, muitos, aos finais de semana optam por passar parte do dia em seus sítios, retornar ao centro urbano ao final da tarde e retornar no outro dia, já que mulheres e crianças ficam apavorados só em pensar em passar a noite na região.

 

Em Abril de 2014 foi efetuada diligência investigativa que resultou na prisão de Cláudio no bairro Vila Mozart, na Rua 2.

 

Claudinho é suspeito de efetuar inúmeros furtos não só em Itaúna mas também em Carmo do Cajuru, em uma certa época o criminoso chegou a ser jurado de morte por alguns populares da região do Córrego do Soldado que já que não suportavam mais ter suas residências e sítios arrombados pelo suspeito. Claudinho estava foragido da justiça de Carmo do Cajuru e possuía Mandado de Prisão, já que conseguiu fugir da cadeia da Delegacia local.

 

Os moradores da região não conseguem entender porque um praticante de delito costumas como ele está sempre nas ruas alguns dias depois, porque a polícia não impõe sua autoridade junto ao contraventor e principalmente porque a justiça não o mantém no cárcere já que a reincidência faz parte da sua ficha criminal.

 

Os moradores e sitiantes do Córrego do Soldado, já não sabem mais para quem apelar e gritam por uma ação efetiva e rigorosa por parte das autoridades, seja da Polícia Civil ou Militar e mais ainda do poder Judiciário. E perguntam : “Nenhuma autoridade consegue dar conta deste homem?”Com a resposta as autoridades.