NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 14 de junho de 2021

É importante lembrar ainda que a cidade optou por decretar suas próprias restrições – Foto: Maria Fernanda/ Santana FM

 

 

O Comitê Extraordinário Covid-19 definiu nesta quinta-feira, 10/06, que a macrorregião Oeste continua na onda vermelha do programa Minas Consciente por mais uma semana, sem deixar o Cenário Desfavorável, que faz com que as regras sejam mais restritivas em algumas macrorregiões.

 

Como cada município tem autonomia para escolher se seguirá ou não as orientações do estado, Itaúna optou por não seguir as recomendações do plano Minas Consciente, continuando com academias, salões de beleza e clubes abertos. É importante lembrar ainda que a cidade optou por decretar suas próprias restrições, como por exemplo, a entrada em supermercados por CPF, funcionamento de bares e restaurantes só até às 22h30 e proibição de consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos.

 

Boletim

 

Segundo o último boletim divulgado pela Prefeitura de Itaúna, na quinta, 10/06, a cidade tem 10.357 casos confirmados de Covid-19, sendo 62 deles em 24 horas. O Hospital Manoel Gonçalves continua com alta na ocupação de leitos, com 48 pacientes internados.

 

Ajustes nas regras do Minas Consciente

 

O comitê decidiu ainda sobre alguns ajustes para regras da onda vermelha com Cenário Assistencial e Epidemiológico Desfavorável, categoria criada na semana passada e que estabelece restrições mais rígidas dentro dessa mesma fase do Minas Consciente. A partir desta sexta-feira, 11/06, haverá permissão para academias, clubes e salões de beleza funcionarem nesta etapa do plano, além de autorização especial para bares e restaurantes no fim de semana do Dia dos Namorados, mantendo as medidas sanitárias indispensáveis de prevenção ao vírus.

 

Passado esse fim de semana dos dias 11, 12 e 13 de junho, o funcionamento de bares e restaurantes volta a ser limitado até 19h, sendo permitido o delivery após esse horário — sem possibilidade de retirada de alimentos e bebidas no balcão. Outros eventos e atrativos naturais e culturais, como festas e shows, permanecem proibidos, segundo as determinações do Comitê Extraordinário.

 

Decisões sobre as demais macrorregiões

 

Com as deliberações, 12 macrorregiões do estado estarão na onda vermelha, enquanto as macros Triângulo do Norte e Vale do Aço permanecem na onda amarela. As únicas alterações de onda foram para as macrorregiões Norte, que regrediu da amarela para a vermelha, e Triângulo do Sul, ao deixar o Cenário Desfavorável e agora se enquadrar nas regras básicas da onda vermelha.

 

Já as macrorregiões do Sul, Oeste, Leste do Sul e Centro-Sul continuam consideradas em Cenários Epidemiológico e Assistencial Desfavoráveis, o que aponta que a situação da pandemia continua crítico.

 

Infectologista faz alerta sobre cuidados durante o dia dos namorados

 

O médico infectologista Unaí Tupinambás fez um alerta durante a reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19. Ele orienta que atividades não essenciais devem ser evitadas, pois o atual momento ainda é “perigoso”. Além disso, segundo o médico, fugir das aglomerações deve ser regra.

 

“Bares e restaurantes fechados deveriam ser evitados. Se for, fique em um ambiente aberto e mantenha distância de dois metros. Mas é melhor é não ir, melhor é ficar em casa nesse momento”, disse Unaí Tupinambás.

 

Ainda conforme o especialista, a situação vivida diante da pandemia ainda é “muito complexa”. Por isso, orientou que as pessoas usem duas máscaras de proteção ao sair às ruas, principalmente no transporte público.

 

“Alguns estados estão enfrentando um agravamento da pandemia e pode ser que afete Belo Horizonte e Minas Gerais. Mais do que nunca, as pessoas devem usar duas máscaras de boa qualidade. Pode ser máscara caseira, mas duas. Principalmente no transporte coletivo, que é uma das nossas fraquezas no enfrentamento da pandemia. Nestes locais, é preciso ficar em silêncio”, avaliou.

 

Unaí Tupinambás ainda lembrou que as variantes em circulação em Minas são mais agressivas e transmissíveis. O infectologista reforçou que o inverno e o “cansaço pandêmico” podem precipitar o agravamento da pandemia.

 

Com Hoje em Dia