NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 27 de novembro de 2020

 

 

Nesta terça-feira, 27/10, a Polícia Civil convocou uma coletiva na Delegacia de Itaúna para divulgar mais informações sobre a Operação Quinto Mandamento, na qual dois suspeitos de 32 e 28 anos foram detidos. A operação recebeu o nome de Quinto Mandamento em alusão a um dos dez mandamentos da igreja: “não matar”.

O Delegado João Marcos,  informou que foram cumpridos 7 mandados: dois de prisão e 5 de busca e apreensão nos bairros Jadir Marinho, Vila Mozart e Lourdes. Foram encontrados uma pistola calibre 38 e 52 munições (em 3 carregadores) e uma faca que serão submetidas à perícia. Foram empenhados na ação sete viaturas e 23 policiais civis das Delegacias de Polícia Civil em Itaúna e Divinópolis.

“A ação tem por objetivo proporcionar mais segurança para os itaunenses, reforçando o nosso compromisso com a redução dos índices de criminalidade violenta no município”, ressalta

 

Tentativa

A arma de fogo teria sido usada na tentativa de homicídio ocorrida no dia 25 de janeiro deste ano no Bairro Várzea da Olaria, quando  a vítima de 29 teria sido atingida por 14 disparos e sobreviveu, tendo ainda 6 projéteis alojados em seu corpo. Segundo o que foi divulgado, ele teria sido atingido com  balas de calibres diferentes.

No dia dos fatos, o homem, de 29 anos, estava com a família, em frente à residência dele, no momento em que o suspeito, na companhia de outros indivíduos ainda não identificados, chegou em um veículo e efetuou diversos disparos de arma de fogo

O homem que foi vítima dos disparos  pode ter participado de furtos na casa e na empresa do pai do suspeito. O autor dos tiros teve prisão preventiva decretada.

 

Homicídio

Já no homicídio, o homem de 27 anos, foi esfaqueado no ultimo dia 1° de setembro no Bairro Jadir Marinho e acabou falecendo.  A motivação seria uma dívida da compra de um veículo, sendo que a vítima não teria pago R$700, gerando desentendimento com o autor de 32 anos, que veio a matá-lo. O suspeito esta em prisão temporária.

Segundo o Delegado, os crimes não tem ligação entre si. A única similaridade seria que as vítimas tinham passagens e os autores não. Há a possibilidade de mais desdobramentos desta operação.

 

Ouça mais detalhes na entrevista com o Delegado João Marcos: