Lula e Kalil: Polícia prende três suspeitos de atirar fezes com drone em apoiadores

15/06/2022 | Minas Gerais

 

Os suspeitos foram encaminhados à delegacia para prestar depoimento – Foto reprodução

 

 

A Polícia Militar prendeu outros dois suspeitos de atirar fezes e urina por meio de um drone durante encontro político do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), e do ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

 

Segundo informações preliminares, o drone teria partido de um condomínio vizinho ao Centro Universitário do Triângulo (Unitri), local do evento. Os suspeitos foram localizados pela polícia numa caminhonete. Populares que estavam no local seguiram o pouso do drone e chamou a polícia. O objeto voador foi apreendido.

 

Os dejetos foram jogados por volta das 16h30. Algumas imagens mostraram diversas pessoas fugindo das substâncias arremessadas pelo drone.

 

 

Equipamento acabou apreendido pela Polícia Militar – Foto PM

 

 

Segundo a TV Integração, de Uberlândia, a polícia alegou que o líquido atirado seria, na verdade, um produto químico usado em lavouras para atrair moscas.

 

Os suspeitos foram encaminhados à delegacia para prestar depoimento e liberados mediante assinatura do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Posteriormente, deverão ficar à disposição da Justiça para mais uma vez serem interrogados.

 

Mais cedo, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) espalharam na cidade e no local do evento vários cartazes de apoio ao mandatário.

 

Vários participantes do ato foram atingidos pela substância. Por causa do estrago feito, alguns militantes que aguardavam Lula deixaram o espaço para comprar camisas temáticas do ex-presidente e, assim, jogar fora as roupas atingidas pelas fezes.

 

Vários participantes do ato foram atingidos pela substância – Foto reprodução

 

Por Uai 

 

 

Veja também