Mais de 7 mil doses infantis são destinadas para a região

6/03/2022 | Centro-Oeste

Dose pediátrica da vacina da Pfizer – Foto Edmilson Tanaka/Divulgação

 

 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG) começou na sexta-feira, 04/03, a distribuição de mais uma remessa de vacinas pediátricas contra a Covid-19. Ao todo, foram destinadas ao Centro-Oeste de Minas 7.260 doses de Pfizer infantil para a imunização de segunda dose em crianças de 5 a 11 anos. Itaúna receberá 430 doses.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), essa remessa de vacinas enviadas aos municípios para imunização de crianças é referente ao lote 92ª enviado pelo Ministério da Saúde.

Conforme a pasta, até o momento, o estado já vacinou mais de 970 mil crianças contra a Covid-19. Já foram administradas mais de 40,4 milhões de doses de imunizantes na população com mais de 5 anos de idade.

Doses por municípios

 

As cidades da região receberão as doses por meio das regionais de Saúde de Divinópolis, Sete Lagoas e Passos. Veja abaixo o quantitativo por cidade :

Doses distribuídas para a SRS de Divinópolis

Municípios Pfizer D2- crianças de 5 a 11 anos
Aguanil 30
Araújos 60
Arcos 190
Bambuí 100
Bom Despacho 240
Camacho 20
Campo Belo 250
Cana Verde 30
Candeias 60
Carmo da Mata 60
Carmo do Cajuru 120
Carmópolis de Minas 100
Cláudio 150
Conceição do Pará 30
Córrego Danta 20
Córrego Fundo 30
Cristais 80
Divinópolis 1.090
Dores do Indaiá 60
Estrela do Indaiá 20
Formiga 280
Igaratinga 70
Iguatama 40
Itaguara 60
Itapecerica 90
Itatiaiuçu 70
Itaúna 430
Japaraíba 30
Lagoa da Prata 260
Leandro Ferreira 20
Luz 90
Martinho Campos 70
Medeiros 20
Moema 40
Nova Serrana 720
Oliveira 190
Onça de Pitangui 20
Pains 40
Pará de Minas 460
Passa Tempo 40
Pedra do Indaiá 20
Perdigão 80
Piracema 30
Pitangui 150
Santana do Jacaré 30
Santo Antônio do Amparo 100
Santo Antônio do Monte 150
São Francisco de Paula 30
São Gonçalo do Pará 70
São José da Varginha 30
São Sebastião do Oeste 40
Serra da Saudade 10
Tapiraí 10
Total 6.530

 

Importância da vacina

Nenhuma vacina oferece proteção de 100% contra doenças, mas todas reduzem o risco de infecção, hospitalização e morte, principalmente depois da segunda dose.

É importante lembrar que os imunizantes funcionam, mas não são infalíveis. Ainda assim, apesar de a probabilidade de infecção após a vacina ser pequena, quanto mais a doença estiver circulando, maior é o risco de o imunizante falhar. Por isso a necessidade de vacinar o maior número de pessoas possíveis o quanto antes.

Por G1

Veja também