NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 22 de outubro de 2019

Fonte: Hoje em Dia

 

 

Nos próximos anos Minas Gerais ganhará sete novas unidades prisionais que somarão 2.984 vagas para detentos em cidades de diversas regiões. Atualmente, o Estado conta com 197 unidades somando pouco mais de 39 mil vagas, mas mantém sob custódia mais de 72 mil presos, de acordo com levantamentos da própria Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

 

As cidades que receberão as penitenciárias são: Ubá (Zona da Mata), Iturama (Triângulo), Divinópolis (Centro-Oeste), Itabira (Central), Alfenas, Itajubá e Lavras (Sul de Minas). No caso dos dois primeiros municípios, as obras foram iniciadas e acabaram sendo paralisadas, sendo retomadas agora após as ordens de retomada serem publicadas pelo governo.

 

“Com cerca de 50% da obra concluída, o novo Presídio de Ubá terá capacidade para atender 388 custodiados em um espaço de sete mil metros quadrados de área construída. O canteiro foi paralisado no final de 2018 e, com empenho do atual governo, negociações com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Governo Federal, o investimento da ordem de R$25 milhões para esta unidade possibilita os recursos necessários para a sua finalização”, diz nota divulgada pela Sejusp.

 

A expectativa é de que até o final de 2020 a nova unidade seja entregue

A unidade de Iturama, que também estava paralisada há 11 meses por falta de recursos, teve a construção retomada com 30% já construídos. “A empresa vencedora do processo de licitação já trabalha no canteiro e a expectativa é de que até o final de 2020 a nova unidade seja entregue. O novo presídio ocupará uma área de 7 mil metros quadrados de área construída e terá quatro guaritas para a proteção dos blocos internos, além dos módulos de área administrativa, setor de revista, guarda externa, casa de gás, Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), entre outros”, completa a pasta.

 

Busca por recursos

 

Em entrevista à rádio Itatiaia, o secretário de Justiça e Segurança Pública, general Mário Araújo, falou sobre as demais unidades, que ainda aguardam a busca de recursos para o reinício. “Estamos buscando a ordem de início para Alfenas, Itajubá e Divinópolis, com 306 vagas cada. Além disso, a Vale fez o compromisso de construir dois presídios de 600 lugares cada. Com isso vai haver um aporte de 1.200 vagas nas cidades de Lavras e Itabira, já com início de levantamento topográfico”, falou o secretário à rádio.

 

Procurada pelo Hoje em Dia, a assessoria de imprensa da Sejusp explicou, por meio de uma nota, que as unidades que serão construídas pela mineradora Vale acontecem por existirem unidades prisionais do Estado que podem ser afetadas, direta ou indiretamente, “num eventual rompimento de outras barragens sob responsabilidade da empresa”.  “O processo ainda está em tratativas e no momento não é possível detalhar sobre prazos e investimentos”, concluiu a secretaria.