NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 19 de junho de 2021

Cinco macrorregiões são as mais afetadas, sendo elas: Centro-Sul, Leste do Sul, Oeste, Sul e Triângulo do Sul. – Foto: O Tempo

 

 

Minas Gerais voltou a registrar tendência de aumento de casos de Covid-19, e a ocupação média de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) continua acima dos 80%. A informação foi divulgada pelo secretário de Estado da Saúde, Fabio Baccheretti, em coletiva de imprensa nesta terça-feira (8).

 

Há, em especial, preocupação com regiões do Sul de Minas, que apresentam incidência em casos em alta, e grande número de pacientes aguardando por leitos para internação.

 

As mais afetadas são as cinco macrorregiões que, apesar de já estarem na Onda Vermelha do Minas Consciente, foram colocadas em restrições ainda mais pesadas – Centro-Sul, Leste do Sul, Oeste, Sul e Triângulo do Sul.

 

Devido à falta de leitos nas regiões, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que 51 transferências entre as regionais de Minas foram realizadas. Houve, ainda, transferência de pacientes para o interior de São Paulo, como ocorrera em São Sebastião do Paraíso.

 

“Existe um turismo regional constante entre São Paulo e o Sul de Minas, tanto é que, na última semana. Certamente, tem influência. Essa transferência foi feita, provavelmente diretamente entre um hospital e outro, provavelmente em um leito privado. Não foi pelo SUS”, esclareceu, em relação às transferências entre as unidades da federativas.

 

“Temos um pico, quando o sistema de saúde ainda não se esvaziou, é capaz de um colapso local”, afirmou o secretário, quando questionado sobre possibilidade de retroação das macrorregiões em patamares críticos para a Onda Roxa, do Minas Consciente. “A vacina é a única saúda da pandemia”, defende Baccheretti.

 

 

Por O Tempo