NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 21 de abril de 2021

 

A Ouvidoria-Geral do Estado (OGE) já recebeu 589 denúncias de “fura-filas” da vacinação contra a Covid-19, entre 18 de janeiro, quando as primeiras doses dos imunizantes chegaram a Minas, e o último domingo (7).

Conforme a Ouvidoria, todas as queixas passam por uma avaliação e, somente depois, são encaminhadas aos órgãos competentes. Os casos podem ser levados para comissões de ética e ao Ministério Público, responsável em analisar se houve improbidade administrativa ou crimes, como infração de medida sanitária, peculato e apropriação.

Quem pratica conduta antiética pode ser responsabilizado com penas administrativas, multa ou até mesmo cadeia, quando o infrator usa o cargo público que ocupa para favorecimento pessoal. Somadas, as penas podem render 12 anos de prisão.

Ao todo, a OGE recebeu 1.053 manifestações relativas ao processo de vacinação no Estado. Dessas, 315 são pedidos de informações, reclamações, sugestões e solicitações.

 

Como denunciar

As denúncias da imunização de pessoas não pertencentes aos grupos prioritários devem ser feitas na Ouvidoria-Geral do Estado, Disque-Saúde (136), Ministério Público de Minas e Ouvidoria do Ministério da Saúde.

O público-alvo, nessa primeira etapa de imunização, é formado por profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate à Covid-19, idosos em asilos, deficientes em residências inclusivas e indígenas que vivem em aldeias.

 

Vacinação em Minas

Minas já vacinou 304.025 pessoas contra o novo coronavírus. Destas, 24.695 já receberam a segunda dose do medicamento, segundo dados do boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES) dessa segunda-feira (8).

Ao todo, o Estado já recebeu do Ministério da Saúde 855.580 unidades dos imunizantes. Destas, 852.460 foram distribuídas para as Unidades Regionais de Saúde e 737.857 encaminhadas para os municípios. As restantes ficaram armazenadas em URS.

 

Por Hoje em Dia