NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 11 de dezembro de 2019

Foto: Internet

 

Outubro de 2019 é o pior em casos de dengue já registrado em Minas. Só no mês passado, o Aedes aegypti fez 1.396 vítimas. Neste ano, são mais de 484 mil notificações prováveis – soma das confirmações e suspeitas da doença – e 153 mortes. Os números mostram que o Estado entrou na temporada de chuva, quando a proliferação do mosquito é maior, sem trégua no avanço da enfermidade – apesar da estiagem.

 

Os dados foram divulgados  pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Até então, o outubro com mais registros foi em 2015, com 1.287 doentes. Já a epidemia mais severa ocorreu em 2016, com 519 mil infectados e 208 óbitos.

 

Alerta

 

“Por causa da chuva e do calor, Minas Gerais entra em novo alerta”, frisou Márcia Ooteman, coordenadora do Programa Estadual de Doenças Transmissíveis pelo Aedes, da SES. Ela reforça que, a partir de dezembro, começa um novo ciclo do vírus. Apesar dos elevados números de outubro, a servidora disse que os registros de dengue vêm caindo desde junho.

 

Segundo ela, o Executivo investirá em campanhas para orientar a população sobre os cuidados para se evitar os criadouros do Aedes.

 

Minas Gerais é o Estado campeão em notificações de dengue em 2019, conforme o Ministério da Saúde

 

Balanço

 

Dados preliminares do Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) apontam que 242 (30%) dos 803 municípios mineiros que enviaram informações à Secretaria de Estado de Saúde estão em situação de alerta por conta da presença de focos do mosquito. Outras 15 cidades estão em risco para surto de doenças transmitidas pelo mosquito, como dengue, zika e chikungunya. Os demais se encontram em situação satisfatória.

Os índices servem para apontar caminhos de combate ao mosquito. Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Controle das Doenças Transmitidas pelo Aedes, Márcia Ooteman, na semana que vem um seminário deverá apontar ações a serem realizadas no próximo período sazonal, previsto para dezembro. No entanto, reforça a técnica, prefeituras já têm utilizado os resultados parciais para medidas de prevenção.

 

“Nosso papel é fazer com que isso fique dentro do limite esperado. Os municípios já estão fazendo revisões dos planos de contingências”, apontou a coordenadora. Dentre as propostas de mobilização social, uma campanha para alertar a população será feita. “As pessoas precisam entender que, muitas vezes, o vetor está dentro de casa”.

 

 

Segundo o último boletim, divulgado pela secretária na segunda-feira, 4 de novembro, Minas Gerais registrou 153 mortes por dengue neste ano, em 47 municípios. Ao todo foram 484.624 casos prováveis da doença.

Prevenção

 

A temporada de chuva, que já começou, aumenta o risco. Virologista da UFMG, Flávio Fonseca destaca que os cuidados devem ser reforçados dentro de casa. “O pouco que se pode fazer para conter a proliferação precisa ser feito. Tem que evitar coleção de água parada. Só assim para controlar uma infestação e surto”.

 

Por Hoje em Dia