NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 27 de novembro de 2020

Foto: Arquivo Pessoal

 

 

A nona vítima a morrer por intoxicação, após ingestão de cervejas da marca Backer, faleceu na madrugada dessa quarta-feira (15), no Hospital Madre Teresa, em Belo Horizonte. José Osvaldo de Faria, 66, chegou a ficar internado por mais de 500 dias na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital e no mês passado foi transferido para um quarto. O homem havia ingerido a cerveja durante uma confraternização em um sítio, em fevereiro de 2019. A morte foi confirmada por familiares.

Durante todo o tratamento, a vítima teve cinco paradas cardiorespiratórias, nove pneumonias, perdeu completamente a visão, estava com paralisia nas pernas e na face. No início de junho, a esposa dele, Eliana Reis conversou com a reportagem de O Tempo sobre a situação do marido. Segundo ela, os custos para o tratamento chegavam a R$ 8,6 mil por mês. Ela também afirmou que em nenhum momento a família recebeu ajuda financeira da Cervejaria Backer para custear os gastos. A Família chegou a iniciar uma “vaquinha virtual” para poder arcar com os custos.

Na época a Backer afirmou, por meio de nota, que em nenhum momento a família apresentou os laudos médicos à Justiça para receber o auxílio. Disse ainda que “algo muito grave aconteceu” e que iria “honrar com todas as suas responsabilidades”.

Em relação a morte da nona vítima nessa quarta-feira (15), a Backer informou que não iria se pronunciar sobre o caso.

 

Foto: Arquivo Pessoal

Inquérito

Onze pessoas foram indiciadas no inquérito da Polícia Civil que apurou a contaminação por mono e dietilenoglicol nas cervejas da marca Backer. Dentre elas estão funcionários e integrantes do núcleo gestor da cervejaria. Oito óbitos e 21 vítimas foram apontadas na investigação. Outros 30 casos estão sob investigação.

 

 

 

Por O Tempo