NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 25 de novembro de 2020

Complexo São João de Deus Divinópolis — Foto: Complexo Hospitalar São João de Deus/Divulgação

 

 

Morreu na noite desta quarta-feira (12) a mulher de 41 anos que foi baleada pelo companheiro de 34, que tirou a própria vida após o crime em Carmo do Cajuru. A informação foi confirmada ao G1 pela assessoria de comunicação do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). O crime ocorreu no Bairro Vitória, segundo a Polícia Civil.

A vítima havia sido socorrida com vida e encaminhada em estado grave para a Sala Vermelha do CSSJD, onde faleceu. A unidade não informou mais detalhes sobre a morte da paciente.

 

Entenda o caso

O delegado que está à frente do caso, Wesley Amaral Castro, contou que o casal se conhecia há pouco mais de um ano. Eles estavam casados há oito meses, mas o relacionamento era conturbado, de acordo com as apurações.

 

“As investigações apontam que o casal já vinha tendo diversas discussões. Inclusive, no momento do crime, duas filhas da vítima estavam no local e ouviram os disparos de arma de fogo. Há registros de que o investigado já havia ameaçado se matar, caso acabasse o relacionamento. Contudo, não havia nenhum indício de que ele poderia fazer algo em relação à vítima”, destacou Wesley.

 

Crime

Segundo a Polícia Militar (PM), o crime foi registrado nesta manhã. Os vizinhos acionaram os militares depois de ouvirem os disparos de arma de fogo.

“A PM foi acionada via 190, dando conta que as pessoas escutaram disparos de arma de fogo no local. Rapidamente os militares se deslocaram junto com o serviço de saúde”, contou o tenente da PM, Helder ferreira.

 

Crime passional

A principal suspeita da Polícia Civil é de crime passional, já que o casal tinha se desentendido recentemente e eles chegaram a se separar.

“No meio do relacionamento eles tiveram um término, pois a esposa soube que ele poderia ser pai de um filho de uma outra pessoa. Contudo, quando ela soube que ele não era o pai, eles reataram. O relacionamento passou a ser bastante conturbado, onde ocorreram diversas discussões”, destacou o delegado.

 

Pelas informações já apuradas, tanto pela Polícia Civil, quanto pela Polícia Militar, quatro pessoas estavam na casa na hora do crime. O casal e mais dois filhos da mulher. Os filhos estavam em um cômodo diferente e não viram quando a mãe foi baleada.

 

Com base no levantamento preliminar da perícia, a Polícia Civil reforçou que não desconfia de outros motivos pra o crime, que não seja o passional.