NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 31 de maio de 2020

Consumidores Itaunenses,

Gostaríamos de informar que, em relação ao recente aumento de preço de alguns produtos, que esta alta vem dos grandes fornecedores, das grandes indústrias, ou seja, da rede primária de produção e distribuição.

Estes produtos, na sua maioria são commodities, mercadorias básicas, geralmente matéria prima para outros produtos, cujo preço é ditado pelo mercado internacional, e que sofre influência global da crise que estamos enfrentando, como por exemplo a constante alta do dólar americano.

O que temos que deixar claro, e que sempre foi a orientação do Sindicomércio Itaúna e de todas as entidades que compõem o CDE de Itaúna, é que o varejista de Itaúna, sabedor de que a sua reputação e imagem estão continuamente sendo formadas pelo preço justo que é praticado nas suas prateleiras, desta forma, jamais teremos precificação abusiva aproveitando-se de momentos de crise. O que ocorre é que apesar de exaustivas negociações com os fornecedores na busca pelo menor preço, o varejista se vê obrigado a repassar o aumento que vem da indústria.

A dica do Sindicomércio e de todas as entidades que compõem do CDE de Itaúna aos consumidores é que façam pesquisa de preços, optem por produtos de marcas similares mais baratos, não comprem em excesso e não façam estoques em casa, assim todos colaboram para a redução dos preços.

Outra dica importante, para o consumo nos varejos que estão trabalhando, ou seja, os considerados atividades essenciais, é que as famílias elejam um membro para fazer a compra, que idosos e crianças fiquem em casa, e que uma vez no estabelecimento comercial procurem seguir as orientações da Vigilância Sanitária. Assim, com a ajuda de Deus, iremos superar este momento de crise de saúde o mais rápido possível e voltarmos à normalidade.

Alexandre Maromba
Presidente do Sindicomércio Itaúna
Conselheiro da AMIS – Associação Mineira de Supermercados.