NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 18 de junho de 2021

O animal foi resgatado pela Corporação e, segundo eles, não chegou a ser ferido pelos cães – Foto reprodução

 

 

Um ouriço-cacheiro, mais conhecido como porco-espinho, foi resgatado em uma casa na Rua  Sete de Setembro, no Bairro Garcias, por volta das 9h40 da manhã desta quarta, 05/05.

 

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, o animal teria entrado em quintal de uma residência e alguns cachorros o atacaram, o fazendo soltar seus espinhos na boca dos cães .

 

O animal foi resgatado pela Corporação e, segundo eles, não chegou a ser ferido pelos cães.

 

 

Ouriço-cacheiro eriça os espinhos quando se sente ameaçado

 

O ouriço-cacheiro (Coendou prehensilis) é um roedor que pertence à família Erethizontidae – Foto divulgação

 

 

É reconhecido principalmente por ter o dorso coberto de espinhos de até 13 centímetros de comprimento. A pelagem é constituída por uma mistura de pelos finos somada aos pelos espinhosos. Possui cor parda com nuanças mais claras em tom de branco ou amarelo.

 

É um animal de hábito crepuscular e noturno. Vive solitário e é avistado muitas vezes dormindo em árvores nas horas mais quentes do dia.

 

Alimenta-se de frutas, folhas e cascas de troncos. Opta por fazer moradia perto de plantações, como de goiaba e banana.

 

Espinhos

 

Os espinhos do animal são um mecanismo de defesa. Quando se sente ameaçado ou é molestado por algum bicho, o ouriço-cacheiro eriça os espinhos, que facilmente se desprendem da pelagem e penetram a pele do agressor.

 

Em áreas rurais, é comum os cães aparecerem com a região da boca cheia de espinhos, por tentarem morder o ouriço-cacheiro.

 

O período de gestação varia entre 60 e 70 dias, e geralmente a prole se compõe de quatro crias. Ocorre na Mata Atlântica, no Pantanal, na Caatinga e no Cerrado, desde o Rio de Janeiro até o Rio Grande do Sul, incluindo Minas Gerais.

 

Pode ser encontrado também em territórios vizinhos como na Venezuela, Guianas, Bolívia e Trinidad.

 

No Brasil

 

O nome ouriço-cacheiro diz respeito a pelo menos oito espécies conhecidas, de três gêneros diferentes: Coendou, Sphiggurus e Chaetomys. A espécie mais ameaçada é a Chaetomys subspinosus.

 

 

O animal foi resgatado pela Corporação e, segundo eles, não chegou a ser ferido pelos cães – Foto reprodução

 

 

O animal foi resgatado pela Corporação e, segundo eles, não chegou a ser ferido pelos cães – Foto reprodução