NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 28 de novembro de 2020

Restos mortais de Padre Libério são exumados para beatificação em Leandro Ferreira

 

 Por Padre Guilherme

Na noite do último dia 02 de março esteve em Leandro Ferreira, cidade situada na região abrangida pela Diocese de Divinópolis (circunscrição eclesiástica da Igreja Católica em Minas Gerais), um grupo de pessoas responsáveis pelo processo de verificação da possibilidade de beatificação e canonização do Servo de Deus Padre Libério Rodrigues Moreira. O objetivo da visita era para iniciar o procedimento de transladação dos restos mortais de Padre Libério, que se encontravam sepultados em uma pequena capela junto ao cemitério municipal desde seu falecimento, em 1980, para a Igreja Matriz de São Sebastião de Leandro Ferreira.

 

Além dos integrantes da comissão diocesana da causa da beatificação e canonização, participaram os técnicos vindos de Roma, Padre Paolo Lombardi, Sr. Paolo Vilotta. Esteve presente também o bispo diocesano, Dom José Carlos.

 

Dia 12 de março

 

Após a abertura do túmulo e o recolhimento dos restos mortais, os mesmos foram conduzidos pela comitiva até Divinópolis, onde serão devidamente preparados para serem levados de volta no dia 12 de março, sábado, onde serão colocados na Igreja durante a celebração de uma Missa. A Matriz de São Sebastião é obra que foi construída pela iniciativa, esforços e dedicação de Padre Libério.

 

A capela onde está o antigo túmulo permanecerá fechada até ordem de Dom José Carlos.

 

A Paróquia de São Sebastião convida a todos para essa festiva Celebração Eucarística, que será presidida por Dom José Carlos com a participação de outros sacerdotes. A Missa será às 17:00 horas, no sábado, dia 12 de março próximo. Trata-se de acontecimento histórico e cheio de significado religioso para nossa região.

 

HISTÓRIA

padre liberioPadre Libério Rodrigues Moreira, nascido na cidade de Lagoa Santa, em 30 de junho de 1884 e falecido em Divinópolis no dia 21 de dezembro de 1980,) foi um sacerdote católico. Seus pais eram muito pobres e tiveram sete filhos. Desde menino, Libério ajudava o pai guiando bois. Em 1902 a família mudou-se para Mateus Leme, onde passou a trabalhar como servente de pedreiro. Aos vinte e dois anos de idade, ingressou no seminário de Mariana, sendo ordenado padre em 20 de março de 1916.

 

Exerceu a maior parte de seu ministério sacerdotal na pequena cidade de Leandro Ferreira, que fica próxima de Nova Serrana, no centro oeste mineiro. Vivia com muita simplicidade e tinha grande espiritualidade. Diversas pessoas sempre acorriam a Leandro Ferreira para receber a bênção do querido Padre Libério e também pedir suas orações. Ainda em vida, muitas pessoas afirmavam ter alcançado graças pela intercessão do humilde sacerdote. Com idade avançada, Padre Libério desejou mudar-se para a cidade de Pará de Minas, onde teria mais facilidade para tratar de sua saúde. Depois, mudou-se para uma pequena casa na Vila Vicentina de Divinópolis, onde veio a falecer. Como havia manifestado em vida que seu desejo era ser sepultado em Leandro Ferreira, a Diocese de Divinópolis resolveu atender sua vontade. Assim, foi sepultado no cemitério municipal da cidade. Muitas pessoas continuavam a visitar seu túmulo e pedir sua intercessão junto a Deus. Um grupo de pessoas decidiu construir uma pequena capela ao redor do túmulo. Também foi construída uma estátua na praça central, como forma de homenageá-lo. Mais tarde, também foi construído um museu para conservar seus objetos pessoais.

 

Por sua vida piedosa e pelas graças que são atribuídas a sua intercessão, é tido na condição de santo pelas pessoas da região. Recentemente, a Diocese de Divinópolis decidiu iniciar processo para verificação da possibilidade de sua beatificação e canonização. É um processo que demanda muito trabalho, investigação e que precisa da colaboração de muitas pessoas.

 

Embora a transladação de seus restos mortais para a Igreja não signifique necessariamente a afirmação de sua beatificação e canonização, é um acontecimento significativo para todos os que tem nele um exemplo e modelo de santidade.

                                                            

* Padre Guilherme da Silveira Machado é administrador paroquial na Paróquia de São Sebastião, em Leandro Ferreira. Apresenta quinzenalmente o programa Momento Mariano, aos domingos, ao meio-dia, na Rádio Santana FM 96,9.

 

 

Bispo José Campos detalhou momento da exumação

 

Padre Adelmo Sérgio Gomes e bispo José Campos acompanharam exumação (Foto: Ricardo Welbert/G1)

 

O bispo José Carlos Souza Campos, responsável pela Diocese de Divinópolis, recebeu a imprensa na tarde desta quinta-feira (3) para contar detalhes sobre a exumação do corpo do padre Libério, realizada de forma discreta durante a noite desta quarta-feira (2) no cemitério de Leandro Ferreira. De acordo com o religioso, havia poucos restos mortais do padre, que morreu aos 96 anos de idade e foi enterrado no local há 35 anos. A remoção dos fragmentos de ossos e tecidos foi acompanhada de perto por dois representantes do Vaticano, que colhem informações para o processo que visa transformar Libério em santo.

 

O dia e o horário da exumação do corpo não foram divulgados como forma de se evitar tumulto no cemitério.

 

A comitiva ficará em Divinópolis por 12 dias, para trabalhar no processo de beatificação do padre que morreu em 1980 e que já foi declarado “servo de Deus”.

 

Túmulo de padre Libério aberto. (Foto: Lucas Silva)

A verificação do cadáver emocionou o religioso. “Foi uma liturgia marcante. Não foi apenas quebrar o túmulo e retirar o que tinha dentro. Houve todo um rito litúrgico. A pedra de mármore foi removida e assim que tivemos a visão do caixão teve início uma oração por aquele defunto. Incensamos os restos mortais, cantamos e retiramos o que estava lá”, lembrou.

 

Havia poucos restos do corpo. “Foram 35 anos sepultados em um local muito úmido. Nenhum dos ossos que estavam ali ultrapassam um palmo de comprimento. Todo o conteúdo cabe em duas mãos juntas”, acrescentou.

 

Isso é o que a Igreja Católica chama  de “elementos de primeiro grau”, que são os ossos, vestígios de sangue e pele. Tudo será colocado em uma urna e devolvido à paróquia de Leandro Ferreira.

 

Já os elementos de segundo grau, que são as roupas e os tecidos do caixão, foram retirados em grande quantidade. “Isso será lavado e endereçado ao que pode ser feito, como a fabricação de pequenas relíquias, em vista de uso futuro”, afirmou.

 

Pode demorar décadas

 

 Devotos acreditam que a imagem da radiografia seja a de Padre Libério (Foto: Divulgação)

 

 

Após aberto o processo, pessoas que conheceram e conviveram com Padre Libério estão sendo ouvidas para que a trajetória da vida do sacerdote seja documentada para ser levada para o Vaticano. Lá, peritos irão analisar se cabe a beatificação. Caso sejam confirmados milagres realizados pelo padre, o sacerdote poderá ser canonizado, se tornando um santo. Até o momento, 48 entrevistas já foram realizadas.

 

Ainda de acordo com o bispo, não há previsão para que o processo em Roma seja concluído, pode demorar décadas. Possíveis milagres estão sendo estudados e serão encaminhados para o Vaticano. Para que ele seja considerado santo é necessário que o Vaticano reconheça pelo menos dois.