NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 27 de novembro de 2020

alta preço gas

 

 

 

 

A Petrobras comunicou ao mercado,  novo reajuste no preço do GLP (gás liquefeito de petróleo, o gás de cozinha) vendido em botijões maiores de 13 quilos e a granel.

De acordo com o Sindigás (Sindicato das Empresas Distribuidoras de GLP), o aumento no preço cobrado pelas refinarias vai variar entre 2,5{4f38b4b7d8b4b299132941acfb1d57d271347fbd28c4ac4a2917fcb5fee07f0b} e 5{4f38b4b7d8b4b299132941acfb1d57d271347fbd28c4ac4a2917fcb5fee07f0b}, dependendo do ponto de entrega do produto.

O repasse ao preço final, porém, é livre e depende das estratégias de distribuidoras e revendedores. “Portanto, o Sindigás orienta o consumidor a pesquisar o preço final”, disse a entidade.

É o segundo reajuste este ano. No primeiro, em setembro, a alta foi de 12{4f38b4b7d8b4b299132941acfb1d57d271347fbd28c4ac4a2917fcb5fee07f0b}.

O gás de cozinha vendido pela estatal tem dois preços diferentes: um para botijões de 13 quilos, mais usados por residências, e outro para vasilhames maiores ou a granel, mais usados por condomínios, comércio e indústria.

O preço do gás vendido em botijões de 13 quilos não teve aumento, diz o Sindigás. O produto foi reajustado pela estatal em agosto, depois de 13 anos de congelamento do valor de venda pelas refinarias da estatal.