NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 28 de março de 2020

Em greve desde 31 de janeiro, petroleiros montarão pontos de venda neste sábado (8) em várias cidades do país, inclusive em Belo Horizonte, para oferecer à população botijões de gás de cozinha por R$40, cada. Segundo o sindicato da categoria no Estado (Sindipetro/MG), o objetivo da ação é alertar a população sobre os prejuízos causados pela política de privatização da Petrobrás.

Na capital, serão oferecidos 200 botijões. Atualmente, o preço médio das unidades em BH varia de R$ 61,99 a R$ 95 – ou seja, a economia de quem aderir à iniciativa pode passar de 50%. Quem se interessar deve levar o pagamento em dinheiro e um botijão vazio para troca. A atividade será realizada na Rua Pedro Lessa, n° 435, bairro Santo André, região Noroeste da cidade, a partir das 10h.

“Acreditamos que a prioridade é a população. Mesmo assim, é possível vender esse produto essencial a um preço menor e, ao mesmo tempo, manter o lucro de acionistas, revendedoras e distribuidoras. E isso só será possível com uma Petrobrás pública, forte e integrada. Mas as ações do governo, ao privatizar a Petrobrás aos poucos, vão na contramão dos interesses da sociedade. Parte das refinarias brasileiras foram colocadas à venda, incluindo a Regap, em Betim”, afirma o diretor do Sindipetro/MG, Alexandre Finamori.

Reivindicações

O movimento grevista dos petroleiros já atinge, de acordo com o Sindipetro/MG, 30 bases operacionais em 12 estados. Em Minas, o movimento tem 90% de adesão dos setores operacionais da Termelétrica de Ibirité (UTE-Ibirité) e da Refinaria Gabriel Passos (Regap).

Entre outros pontos, os petroleiros defendem a intervenção do governo federal para barrar os aumentos sucessivos dos derivados de petróleo.

Conforme nota divulgada pelos sindicalistas, a categoria também usa o movimento para protestar “contra a demissão em massa e sem negociação de mil trabalhadores, efetivos e terceirizados, da Araucária Nitrogenados/ Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (ANSA/Fafen-PR), e os prejuízos causados pela privatização do Sistema Petrobrás”.

Por Hoje em Dia