PF prende bolsonarista que ameaçou ministros do STF

22/07/2022 | Minas Gerais

Bolsonarista foi candidato a vereador da capital mineira em 2020 – Foto Reprodução/Rede social

 

 

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), expediu uma ordem de prisão temporária de um homem que usou as redes sociais para ameaçar integrantes da Corte e políticos de esquerda, como o ex-presidente Lula (PT) e o deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ).

 

A Polícia Federal cumpriu o mandado contra Ivan Rejane Forte Boa Pinto, 46 anos, nesta sexta-feira (22). Ele foi detido em Belo Horizonte (MG), após resistir à prisão.

 

A prisão havia sido pedida pela PF, após identificar que Ivan Pinto “utiliza canais da rede mundial de computadores (YouTube, Facebook, Twitter) e aplicativos de mensagem para ‘mandar um recado para a esquerda brasileira’, cooptando apoiadores com o fim de ‘caçar’ e de praticar ações violentas dirigidas a integrantes de partidos políticos à esquerda do espectro ideológico”.

 

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais recentemente, Ivan Pinto faz ameaças a Lula, Gleisi Hoffmann (presidente do PT) e Marcelo Freixo (PSB).

 

“Anda de segurança armada na rua que nós, da direita, vamos começar a caçar você [Lula]. Caçar você, caçar Gleisi Hoffmann, esse Freixo, frouxo do caralho. Todos eles que te cercam, vagabundo”, disse o morador de Belo Horizonte.

 

Na mesma gravação, que coloca em destaque a data de 7 de setembro de 2022, ele cita nominalmente ministros do STF e faz mais ameaças: “Sumam do Brasil. Nós vamos pendurar vocês de cabeça para baixo”, disse o homem.

 

O homem também convoca outras pessoas de direita a se juntarem para “expulsar do Brasil esses juízes corruptos e essa esquerda nefasta”.

 

“Esses elementos demonstram uma possível organização criminosa que tem por um de seus fins desestabilizar as instituições republicanas, principalmente aquelas que possam contrapor-se de forma constitucionalmente prevista a atos ilegais ou inconstitucionais, como o Supremo Tribunal Federal, utilizando-se de uma rede virtual de apoiadores que atuam, de forma sistemática, para criar ou compartilhar mensagens que tenham por mote final a derrubada da estrutura democrática e o Estado de Direito no Brasil”, destacou Alexandre Moraes na decisão contra Ivan Pinto.

 

Homem foi candidato a vereador pelo PSL

 

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), Ivan Pinto foi candidato a vereador da capital mineira em 2020, sob o nome “Ivan Papo Reto”, pelo PSL (hoje, União Brasil). Ele não conseguiu votos suficientes para se eleger.

 

Moraes determinou ainda busca e apreensão de “armas, munições, computadores, tablets, celulares e outros dispositivos eletrônicos” em poder de Ivan Papo Reto. Também determinou ao Twitter, YouTube e Facebook o bloqueio das contas do ex-candidato. Ainda mandou o Telegram bloquear um grupo que ele administrava.

 

Por O Tempo 

 

 

Veja também