NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 20 de junho de 2021

Os mandados foram cumpridos em BH, além de Itaúna e São Gonçalo do Pará, no Centro-Oeste – Foto: Raquel Freitas / G1

 

 

Quatorze suspeitos de abusos contra crianças e adolescentes foram presos pela Polícia Civil, nesta terça-feira, 18/05, em Minas Gerais. Os homens foram alvo da Operação Araceli, realizada para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil no estado.

 

De acordo com o delegado Felipe Dias Falles, os mandados foram cumpridos em Belo Horizonte, além de Itaúna e São Gonçalo do Pará, no Centro-Oeste de Minas. Segundo ele, todos os suspeitos têm envolvimento com casos de estupro de vulnerável.

 

Os números de crimes sexuais contra crianças e adolescentes chamam a atenção. No ano passado, o estado registrou mais de 8,6 mil casos. Neste ano, as ocorrências já chegam quase a 2,5 mil. A média é de 20 casos por dia.

 

“Por volta de 84% dessas crianças são meninas, a maioria de 11 a 17 anos, que são vítimas desses abusos. Os outros cerca de 15% são meninos, na sua maior faixa etária de 0 a 11 anos de idade”, disse o delegado, que também destacou que grande parte dos casos é registrada no ambiente familiar.

 

A operação ganhou o nome de Araceli em referência ao caso emblemático de uma criança, que foi abusada e morta, durante a década de 1970, no Espírito Santo.

 

Crimes

 

Ao todo, 17 mandados de prisão e 2 de busca e apreensão foram expedidos. Três suspeitos seguem foragidos.

 

Em Belo Horizonte, a operação teve alvos em diversas regiões da cidade. Um dos casos que chamaram a atenção dos delegados aconteceu no Barreiro.

 

Um lanterneiro, de 51 anos, é suspeito abusar da filha da namorada há cerca de um mês. A menina, de apenas 1 ano, teria sido violentada quando a mãe, por alguns momentos, deixou a filha sozinha no carro com o homem para comprar um lanche.

 

Em outro caso, um homem, de 43 anos, foi detido no bairro Aparecida por suspeita de violentar a filha, de 12. O crime começou a ser investigado depois que a menina conseguiu gravar o abuso, e o vídeo foi localizado pela mãe.

 

Esse não foi o único caso envolvendo pai. Um dos mandados de prisão foi cumprido contra um homem, que já estava detido. Segundo a polícia, ele tem diversas passagens pelo sistema prisional e, durante os períodos de liberdade, teria cometido estupros contra a filha, hoje com 15 anos. Segundo a jovem, que tentou tirar a própria vida, os crimes aconteciam há cerca de 5 anos e, além do pai, outros homens participariam dos abusos.

 

Cartilha

 

Nesta terça-feira (18), a Polícia Civil mineira também lançou uma cartilha para evitar esse tipo de crime. “Criança orientada é criança protegida”, disse a delegada Carolina Bechelany.

 

Polícia Civil de Minas lança cartilha para tentar coibir crimes de abuso sexual. — Foto: Raquel Freitas / G1Foto: “Criança orientada é criança protegida” – Raquel Freitas / G1

 

Segundo ela, a cartilha ajuda a identificar sinais que crianças e adolescentes foram vítimas de abusos e também da dicas para a melhor abordagem.

 

Por G1