NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 28 de novembro de 2020

 

A Polícia Civil em Formiga abriu um inquérito para apurar o desaparecimento de Juliana Oliveira, de 27 anos. Segundo informações da família, a jovem saiu de casa no último dia 7 de julho e foi vista pela última vez em um posto de combustíveis, na MG-050, sentido Piumhi.

A polícia informou que o pai da jovem, o marido e uma amiga já prestaram depoimento. Ainda de acordo com o delegado regional Tiago Ludwig, até o momento não há indicativo de existência de crime.

O desaparecimento foi registrado em um Boletim de Ocorrência na Polícia Militar no dia 11 de julho, pelo pai da jovem, Vicente Rosa, que mora em outro bairro e só tomou conhecimento do sumiço da filha depois que o marido dela contou. Desde então, a PM e a Polícia Civil realizam diligências e apuram pistas sobre o paradeiro da garota.

Vicente disse ainda que por conta de um atraso mental, Juliana faz acompanhamento no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) da cidade e que duas vezes por semana ela frequentava a unidade. No dia do desaparecimento um veículo do Caps foi até a casa da jovem, mas Juliana não estava no ponto de encontro, com de costume.

Ainda segundo a família, Juliana saiu de casa em uma ocasião em que o marido não estava presente. A polícia disse que o companheiro, o pai e uma amiga prestaram depoimento, mas o que eles disseram não foi detalhado.

O delegado informou que ocorreu um boato de uma possível fuga da jovem, pois ela seria mantida em cárcere privado pelo marido. No entanto, essa hipótese já foi apurada e descartada pelos investigadores. Outras hipóteses seguem sendo avaliadas pela polícia.

 

Por G1