NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 3 de dezembro de 2020

 

 

 

A Prefeitura de Cláudio anunciou a saída do programa “Minas Consciente” e determinou novas medidas sanitárias que devem ser adotadas na cidade. A decisão foi publicada por meio do decreto nº 542 na última sexta-feira (2). O G1 entrou em contato com o Estado para saber se já foi informado da decisão, mas não houve retorno até a última atualização da matéria.

A cidade seguia as determinações do plano estadual desde o dia 30 de julho e, conforme a atualização das microrregiões e macrorregião Oeste desta quarta-feira (7), o município se enquadrava na Onda Amarela do plano estadual.

Mais informações estão disponíveis no site da Prefeitura. Veja abaixo algumas medidas determinadas no decreto, que já está em vigor.

 

Uso obrigatório de máscara

 

O uso do equipamento de proteção, que cubra o nariz e a boca, é obrigatório em toda área de Cláudio, especialmente em:

  • Todas as repartições públicas;

 

  • Equipamentos de transportes coletivos e individuais, públicos e privados;

 

  • Estabelecimentos industriais, comerciais, bancários, rodoviários e unidades lotéricas;

 

  • Quaisquer templos religiosos;

 

  • Estabelecimentos de ensino privado de ensino, escolas particulares, profissionalizante e similares;

 

  • Academias de ginástica, quadras e campos de futebol, assim como outros estabelecimentos similares utilizados para pratica de atividades físicas ou ensino de esporte, devendo a fiscalização, observar e guardar razoabilidade na verificação de necessidade de remoção destas, por tempo necessário, para melhor respiração dos usuários ou ao fazer ingestão de líquidos para hidratação em geral;

 

  • Todo e qualquer estabelecimento que aglomere dois ou mais colaboradores, ou que tenha atendimento ao público, tais como os prestadores de serviço, escritórios de contabilidade, escritórios de advocacia, operadores de serviço de comunicação, dentre outros.

 

As empresas de transporte devem disponibilizar, no mínimo, um funcionário para impedir a entrada e a permanência de pessoas quando estiverem utilizando mascara ou cobertura sobre o nariz e a boca, sob pena de ser responsabilizada

Todos os estabelecimentos citados anteriormente devem fornecer e exigir o uso de máscaras pelos colaboradores, assim como somente permitir a entrada de clientes/usuários/frequentadores/alunos que estejam usando máscaras ou coberturas sobre o nariz e boca.

Os estabelecimentos devem afixar cartazes informativos sobre a forma de uso correto de máscaras e o número máximo de pessoas permitidas ao mesmo tempo dentro do estabelecimento.

 

Do G1