NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 9 de maio de 2021

Nas centrais estaduais, os antígenos podem ser armazenados a -20°C por até 14 dias – Foto: Reuters/ Direitos Reservados

 

 

O primeiro milhão de doses da vacina da Pfizer deve ser entregue ao Brasil na próxima semana, mas apenas 26 cidades e o Distrito Federal receberão o imunizante. A informação é do Ministério da Saúde, que revelou nesta quarta-feira (21), em coletiva de imprensa, que a necessidade de armazenamento a baixíssimas temperaturas dificulta a saída das doses das capitais estaduais.

 

Francieli Fantinato, coordenadora do Plano Nacional de Imunização, explicou a logística de armazenamento e distribuição das doses através da Rede de Frio. O lote chega à central de São Paulo e, de lá, será distribuído às centrais de cada Estado, que ficam nas capitais, e, dali, as vacinas serão entregues às centrais municipais dessas cidades.

 

Nas centrais estaduais, os antígenos podem ser armazenados a -20°C por até 14 dias. Já nas centrais municipais, nas salas de vacina, as doses podem ficar por apenas 5 dias em uma temperatura entre 2°C e 8°C. A temperatura ideal de armazenamento da vacina da Pfizer é -80°C, o que só pode ser conseguido no nível central da Rede de Frio.

 

“Já estamos capacitando equipes estaduais e das capitais para elencar pontos de vacinação com quantitativos limitados de vacinas para podermos dar vazão a essas vacinas em tempo adequado para não ter prejuízo do produto”, informu Franciele.

 

A previsão do Ministério da Saúde é de que a Pfizer entregue, até junho, 15,5 milhões de doses. O ministro Marcello Queiroga revelou, ainda, que mais 100 milhões de doses produzidas pela farmacêutica estão sendo negociadas para chegarem ao país em 2022. Essas doses seriam usadas para imunizar brasileiros fora do PNI, já que esse público deve estar completamente imunizado ainda em setembro deste ano.

 

Por O Tempo