NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 25 de novembro de 2020

detentos apac casas populares

 

 

 

 

 

Condenados que cumprem pena no Centro de Reintegração Social (CRS) da Apac de Lagoa da Prata, no Território Oeste, estão ajudando famílias carentes do município a melhorar suas casas. Os recuperandos, como são chamados os presos no Método Apac, atuam como pedreiros, bombeiros hidráulicos, carpinteiros e pintores, por meio de um projeto social da Prefeitura Municipal.

Os recuperandos André Luiz da Silva, 33 anos, e Paulo Alberto da Silva Moura, 28 anos, por exemplo, estão engajados na recuperação de uma casa no bairro Américo Silva. O imóvel foi completamente destruído por um incêndio, levando os moradores a buscarem abrigo em casa de parentes.

“Esse trabalho acaba sendo um gesto de solidariedade com a família. Também faz a gente se sentir útil para a sociedade”, diz André Luiz. Ele está engajado no projeto social há quatro meses. É a segunda casa que reforma. Desde o começo, em outubro de 2014, a parceria entre a prefeitura e a Apac empregou oito recuperandos em duas construções e em três reformas todas em bairros pobres da cidade. Os condenados trabalham em troca de remição de pena: um dia a menos a cada três trabalhados.

A coordenadora do projeto, Emília Mesquita, diz que o emprego dos recuperandos é visto de forma muito positiva pela população de Lagoa da Prata. Ela acrescenta que a Prefeitura também está satisfeita, uma vez que a qualidade da mão de obra é inquestionável. “Esses jovens participam, juntos com técnicos e engenheiros, das decisões sobre o que deve ser feito nas residências selecionadas”, observa Emília.

Repasses

As Associações de Assistência e Proteção aos Condenados (Apac’s) são instituições da sociedade civil sem fins lucrativos que aplicam a Lei de Execuções Penais (LEP), mas sob um modelo que enfatiza a reforma interna do condenado para a assunção da culpa, o arrependimento e a ressocialização.

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) repassa recursos para a manutenção e a construção de Centros de Reintegração das Apac’s. Em 2015, foram destinados cerca de R$31 milhões para manutenção de 38 Apac’s, com aproximadamente 3 mil vagas  e R$13.079.787,22 para as obras dos CRS’s de Itabirito, Uberlândia, Alfenas e Manhumirim, com um total de 492 vagas.