Rússia ataca a Ucrânia com bombardeios em várias cidades

24/02/2022 | Brasil, Mundo, Política

Há registros de explosões e movimentações de tanques em diferentes cidades ucranianas – Foto Reprodução TV

 

 

A Rússia de Vladimir Putin iniciou, na madrugada desta quinta-feira (24), os bombardeios no território da Ucrânia.

 

Há registros de explosões e movimentações de tanques em diferentes cidades ucranianas. Segundo o governo russo, os ataques teriam como alvo bases aéreas e outras áreas militares, que não seriam povoadas.

 

O ataque, realizado por uma grande operação militar após autorização de Putin em pronunciamento pela TV, teria sido feito pelas fronteiras com Rússia, Bielorrússia e Crimeia. A Ucrânia informa que ao menos 50 pessoas morreram.

 

Segundo agências internacionais, o exército ucraniano diz ter abatido cinco aviões russos e um helicóptero. Em comunicado citado pela agência de notícias estatal russa Tass, o ministério russo da Defesa disse que está usando “armas de alta precisão” para inutilizar a “infraestrutura militar, instalações de defesa aérea, aeródromos militares e aviação das Forças Armadas da Ucrânia”.

 

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky anunciou que impôs a lei marcial no país, pedindo que a população evite pânico e calma.

 

“A Rússia lançou ataques contra nossa infraestrutura militar e postos fronteiriços”, disse.

 

Por meio de um post no Twitter, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kouleba, acusou a Rússia de ter iniciado uma “invasão em larga escala”.

 

“Cidades pacíficas da Ucrânia estão sendo atacadas. Esta é uma guerra de agressão. A Ucrânia vai se defender e vencer. O mundo pode e deve parar Putin. É hora de agir agora”, escreveu.

 

Quem interferir levará a consequências nunca antes experimentadas na história’

 

Ao anunciar o início da operação no leste da Ucrânia, o presidente Vladimir Putin fez um pronunciamento onde afirmou que ” as decisões foram tomadas e que os russos precisam se preparar para mudanças nos próximos dias”.

 

Ele ainda alertou para que nenhum outro país interfira na ação, sob “consequências nunca antes experimentadas na história”.

 

“Quem tentar interferir, ou ainda mais, criar ameaças para o nosso país e nosso povo, deve saber que a resposta da Rússia será imediata”, disse o líder russo.

 

Explosões

 

Fortes explosões foram registradas nesta quinta em ao menos cinco cidades ucranianas, incluindo a capital, Kiev. O bombardeio foi iniciado horas depois de o presidente russo anunciar o início da operação militar no país.

 

Pelo menos duas explosões foram ouvidas no centro de Kiev, tendo sido seguidas por sirenes de ambulâncias, segundo jornalistas.

 

Às agências de notícias internacionais, fontes em Mariupol, maior cidade na fronteira com as autoproclamadas repúblicas separatistas pró-russas de Donetsk e Luhansk. no Leste da Ucrânia, disseram que a cidade portuária foi atingida por bombardeios de artilharia.

 

Mais próximo à fronteira, em Kramatorsk, quartel-general do exército ucraniano, pelo menos quatro explosões foram ouvidas.

 

A cidade de Kharkiv, também no Leste da Ucrânia, e o Porto de Odessa, no Mar Negro, Sul do país, registraram explosões. A Ucrânia anunciou o fechamento do espaço aéreo para a aviação civil.

 

Em comunicado, o ministério ucraniano das Infraestruturas justificou a decisão alegando “elevado risco para a segurança” do setor.

 

Segundo agências noticiosas russas, foram cancelados todos os voos com destino ou partida dos aeroportos de Rostov-sur-le-Don, Krasnodar, Sotchi e Anapa, todos situados no Sul da Rússia, próximo à fronteira com a Ucrânia ou ao Mar Negro.

 

O presidente russo, Vladimir Putin, justificou a operação militar, afirmando que se destina a proteger civis da etnia russa em Donetsk e Luhansk, cuja independência ele reconheceu na segunda-feira (21)

 

Por Hoje em Dia

 

 

Veja também