NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 28 de novembro de 2020

russia caminhao sem motorista

 

 

 

 

Um caminhão capaz de circular sem motorista, inclusive no campo, e a velocidades de até 60 km/h em condições climáticas adversas já é uma realidade graças ao trabalho de uma universidade russa e da fabricante Kamaz.

“Muitos outros fabricantes, como Volvo e Daimler, também trabalham em automóveis-robô. Mas nós conseguimos fazer com que nosso Kamaz circule sem motorista com mau tempo, com nevoeiro, chuva ou neve”, explicou Alevtina Chernikova, reitora da Universidade Tecnológica MISIS de Moscou.

Essa universidade, o primeiro centro de pesquisa nacional da Rússia, desenvolveu “os olhos do caminhão”, um complexo programa ótico que analisa o ambiente pelo qual circula o veículo e transmite a informação ao sistema de inteligência artificial que o conduz.

O caminhão já passou por 2 testes neste ano e provou que é capaz de seguir outro caminhão conduzido por uma pessoa, acompanhando seus movimentos mesmo que em ziguezague, parar diante de obstáculos e realizar manobras simples como virar ou mudar de sentido.

“Nossos caminhões já podem circular em piloto automático a velocidades de 60 km/h, suficientes para a cidade. Em alguns anos já poderão alcançar os 90 km/h”, declarou um porta-voz da Kamaz, fabricante com fama mundial após ganhar 12 das 16 últimas corridas do Rali Dacar.

Embora a conclusão do projeto esteja prevista para 2020, várias empresas dos setores agrícola, energético e de mineração já demonstraram grande interesse em ter um caminhão com essas características.

“As empresas precisam de veículos capazes de circular em condições perigosas onde não há estradas” e em áreas onde o clima é muito adverso, como é o caso do círculo polar ártico russo, onde há enormes jazidas para mineração e exploração de petróleo e gás natural.

O sistema de reconhecimento do ambiente agora adaptado ao Kamaz já havia sido desenvolvido antes de ser incorporado ao projeto. Na atualidade, o sistema já é utilizado como “um ajudante na estrada, que avisa o motorista sobre os perigos e obstáculos em situações críticas”, comentou Chernikova.

Motivada pelo sucesso inicial do caminhão e de muitos outros projetos, a universidade inaugurou um centro de pesquisa de robótica aplicada que se propõe a reunir os melhores cientistas e técnicos do país no setor.

No futuro, o centro terá diferentes laboratórios de pesquisa, entre eles um de inteligência artificial e outro de interface para sistemas autônomos intelectuais.

A universidade – reconhecida como uma das 5 melhores da Rússia em ciências aplicadas – tem a ambição de estruturar uma rede integral para dar vida a seus desenvolvimentos tecnológicos, desde a sala de aula e o laboratório onde nascem as ideias, até sua materialização em algo útil e rentável.

“Queremos integrar a educação, a ciência e os negócios na introdução de nossas tecnologias. E aqui é fundamental o nosso papel de centro educativo, além de científico, porque é necessário formar quadros capazes de dar utilidade” a todos os avanços que estarão presentes em nossas vidas no futuro, ressaltou Chernikova.