NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 26 de fevereiro de 2020

 

Nas últimas semanas imagens de uma carta escrita e assinada por médicos do Hospital Manoel Gonçalves em Itaúna, ameaçando iniciar uma greve caso os pagamentos dos salários não fosse quitado ganharam destaque nas redes sociais.

Os coordenadores do corpo clínico da unidade de saúde anunciaram greve dentro de 30 dias caso os pagamentos não fossem normalizados ” em virtude dos atrasos dos vencimentos referentes aos plantões de outubro/2019, que deveriam ter sido devidamente quitados nas primeiras semanas de dezembro, sendo pagos com atraso em janeiro/2020; e referente aos plantões de novembro/2019, que deveriam ter sido devidamente quitado nas primeiras semanas de janeiro/2020, ainda sem pagamento; situação recorrente nos últimos 6 meses, gerando instabilidade e insegurança nas escalas médicas.”

Os médicos listaram ainda que “tal decisão se deu após esgotarmos todas as tentativas de solucionar o déficit junto às autoridades gestoras do serviço, e mediante reunião clínica entre equipes e coordenadores.  Na comunicação foi citado o código de ética,  que asseguraria os profissionais do direito de suspender atividades  quando a instituição para qual trabalham não oferecer condições  mínimas de trabalho ou não remunerar de maneira adequada. Os serviços indispensáveis  ( aqueles que se não executados poriam em risco à vida da população) de urgência e emergência continuariam sendo prestados. Os repasses mensais de acordo com o setor de Saúde são de R$1.027.000,00.

Na tarde desta quinta-feira, 16, uma nota com o título Saúde em Dia foi divulgado com os seguintes dizeres : “A Prefeitura de Itaúna, por meio da Secretaria de Saúde, informa que quitou nesta quinta-feira, 16/01, repasses pendentes em relação ao Pronto-Socorro do Hospital Manoel Gonçalves. Os atrasos, que não eram previstos pelos gestores municipais, e que normalmente não foram superiores a 20 dias, traduzem a crise financeira dos municípios mineiros, que não estão recebendo recursos em dia do Governo do Estado. Somente à Itaúna, o saldo devedor ultrapassa R$ 35 milhões. Contudo, a atual Administração Municipal trabalha para honrar seu compromisso com a saúde pública, com diversas melhorias neste setor, não deixando de lado a minimização de eventuais demoras nas transferências à Casa de Caridade. Cumprindo com mais esta responsabilidade, fica evidente a exitosa e reconhecida parceria Prefeitura / Hospital, que garante atendimentos imprescindíveis à pessoas de Itaúna e região.”

Segundo uma fonte ouvida pelo Jornalismo da Rádio Santana, a primeira parte dos pagamentos  foi efetuada na quinta-feira 16,  e a previsão é que nesta  semana o restante seja depositado.