NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 28 de novembro de 2020


Foto: Pedro Gontijo / Imprensa MG

 

Montado para receber até 740 pacientes com a Covid-19, mas sem realizar nenhum atendimento, o Hospital de Campanha no Expominas, em Belo Horizonte, começa a ser desmontado ainda nesta semana. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (10) pelo secretário de governo, Mateus Simões.

 

A medida, conforme o gestor, será feita devido à ocupação dos leitos na região metropolitana estar estável há duas semanas. “Lembrando que todas as camas e os equipamentos vão ser absorvidos pelos serviços de saúde que atendem a idosos no Estado. Então, não haverá perda de nada do que está ali”, garantiu.

 

A estrutura da unidade de saúde, segundo Simões, será aproveitada pela Rede Fhemig e hospitais públicos de Minas. “Desde o mês passado, vem sendo discuto sobre qual seria o momento em que a gente poderia fazer a desmontagem. A gente aguardava os índices de segurança de ocupação hospitalar”, destacou.

 

O Hospital de Campanha foi inaugurado em abril, mas somente em julho entrou em operação. No período, a unidade não realizou nenhum atendimento. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) destacou que os leitos do espaço não foram utilizados, pois não houve necessidade, uma vez que não faltou vagas para os infectados.

 

Pandemia

Nesta quinta-feira, Minas ultrapassou os 6 mil mortes pelo novo coronavírus. O governador Romeu Zema (Novo) lamentou as vidas perdidas, mas destacou que Estado fez o possível para minimizar os efeitos da pandemia.

“Desde março nós temos nos dedicado incansavelmente para a questão da pandemia. A prioridade sempre foi salvar vidas”, declarou.

Durante coletiva para anunciar um plano de retomada da economia e geração de empregos, o chefe do executivo estadual informou que os indicadores apontam que o pico de transmissão do vírus já passou. “Tudo indica que foi no mês de agosto”, disse.

 

Por Hoje em Dia